Portugal lidera I Liga europeia… e com boa vantagem!

0
166

Portugal terminou a 2ª jornada da I Liga do Campeonato da Europa de Seleções em 1º lugar e com a larga vantagem de 23 pontos sobre a Holanda (163-140) e 24 sobre a Noruega (139), partindo em boa posição para as últimas 19 provas (das 40) na luta pela subida à Superliga, onde estarão apenas oito seleções na próxima edição, em 2021!

Como explicar esta surpreendente classificação? Por um lado, a excelente atuação dos atletas nacionais, que ficaram num dos três primeiros lugares em 10 das 21 provas já realizadas e nos primeiros quatro lugares em 15 das 21 provas: foi 1º em duas; 2º em três; 3º em cinco e 4º também em cinco. Abaixo do 4º lugar ficou apenas em seis provas: uma vez 6º e cinco vezes 8º, entre 11 equipas.

A Holanda, 3ª a 24 pontos, foi desclassificada nas duas estafetas! E a Turquia, 4ª a 26 pontos, viu o seu corredor de 100 m, que era favorito, ser desclassificado por falsa partida! Se Portugal não tiver qualquer falha desse tipo, estará em muito boa posição para manter o primeiro lugar, que seria sensacional e ficaria na história do atletismo nacional!

Depois de Irina Rodrigues ganhar o disco na 1ª jornada, foi a vez de Carlos Nascimento brilhar nos 100 metros, que ganhou com folgados três centésimos de vantagem sobre o holandês Hensley Paulina, embora com tempos fracos (10,64-10,67), fruto do forte vento contrário que se fez sentir (-2,6 m/s). A desclassificação (falsa partida) do turco Barnes ajudou.

Também Lorène Bazolo esteve muito bem, ao ser segunda nos 100 metros, com 11,75 (v:-1,8), tendo sido apenas batida  pela holandesa Comenentia (20,61). Surpreendente foi Paulo Rosário, com excelente 2º lugar nos 1500 m (3.45,18), apenas batido pelo “inacessível” Jakob Ingebrigtsen (3.45,18). Esteve sempre entre os primeiros e perseguiu (até poder) o norueguês, que venceu pouco depois do seu irmão Filip ter ganho (igualmente com boa vantagem) os 5000 m. A fechar, a seleção de 4×100 m foi também segunda nos 4×100 m, ganhando a série B depois da desclassificação da Holanda, que cortara a meta em 1º lugar.

Portugal conseguiu ainda cinco terceiros lugares, através de Ricardo Santos nos 400 m, com a sua melhor marca desta época (46,74); de Cátia Azevedo igualmente nos 400 m (52,44); da ainda júnior Mariana Machado nos 3000 m (9.49,98 numa prova muito tática); de Evelise Veiga, com 13,94 ventosos (e 13,89 regulares) no triplo; e da equipa feminina de 4×100 m, que conseguiu muito bons 44,94, a melhor marca da época e a sexta nacional de sempre.

Entre os quartos classificados (5), destaque para Hélio Gomes, que andou sempre no grupo da frente (3 atletas), só cedendo no quilómetro final e perdendo o 3º lugar sobre a meta (gastou 13.54,98); para Joana Soares, que nos obstáculos também andou sempre no grupo da frente, terminando em 10.00,73; para Vera Barbosa nos 400 m barreiras (57,13); e para Ivo Tavares no comprimento (7,70). Só Tsanko Arnaudov, vencedor há dois anos, ficou aquém das expetativas no peso (19,59).

De resto, e à exceção de Marta Pen, vítima de uma prova muito tática, os restantes atletas não andaram longe das expetativas. As marcas conseguidas poderão ter ficado um pouco aquém, mas a chuva e o vento que se fizeram sentir prejudicaram bastante o desempenho dos atletas.

Resultados dos vencedores e dos atletas portugueses:

Masculinos:

100 m (v:-2,6): 1º Carlos Nascimento POR 10,64; 2º Hensley Paulina HOL 10,67.

400 m: 1º Jonathan Sacoor BEL 46,43; 3º Ricardo Santos POR 46,74.

1500 m: 1º Jakob Ingebrigtsen NOR 3.43,43; 2º Paulo Rosário POR 3.45,18.

5000 m: 1º Filip Ingebrigtsen NOR 13.37,09; 4º Hélio Gomes POR 13.54,98.

400 m barreiras: 1º Yasmani Copello TUR 49,23; 8º Ricardo Lima POR 52,33.

Altura: 1º Alperen Acet TUR 2,21; 8º Paulo Conceição POR 2,12.

Comprimento: 1º Tomas Veszelka SLQ 7,79 (+0,6); 4º Ivo Tavares POR 7,70 (+1,8).

Peso: 1º Denzel Comenentia HOL 20,61; 4º Tsanko Arnaudov POR 19,59.

4×100 m: 1º Turquia 39,46; 2º Portugal (Frederico Curvelo-Diogo Antunes-Carlos Nascimento-Delvis Santos) 39,79 (1º s.B).

Femininos:

100 m (v:-1,8): 1ª Marije van Hunenstijn HOL 11,63; 2ª Lorène Bazolo POR 11,75.

400 m: 1ª Lisanne de Witte HOL 52,05; 3ª Cátia Azevedo POR 52,44.

800 m: 1ª Hedda Hynne NOR 2.04,94; 8ª Marta Pen POR 2.07,01.

3000 m: 1ª Karoline Grovdal NOR 9.45,20; 3ª Mariana Machado POR 9.49,98.

3000 m obstáculos: 1ª Viktoria Wagner-Gyurkes HUN 9.53,48; 4ª Joana Soares POR 10.00,73.

400 m barreiras: 1ª Amalie Iuel NOR 55,80; 4ª Vera Barbosa POR 57,13.

Triplo: 1ª Dovile Kilty LIT 14,28 (+0,9); 3ª Evelise Veiga POR 13,94 (+2,4); 13,89(-0,2).

Martelo: 1ª Martina Hrasnová SLQ 71,64; 8ª Vânia Silva POR 57,83.

Dardo: 1ª Tatsiana Khaladovich BLR 61,17; 8ª Cláudia Ferreira POR 49,61.

4×100 m: 1º Bélgica 44,53; 3º Portugal (Sofia Duarte-Lorène Bazolo-Olímpia Barbosa-Catarina Lourenço) 44,94 (1º s. B).

Pontuação (21 em 40 provas): 1º Portugal, 163; 2º Holanda, 140; 3º Noruega, 139; 4º Turquia, 137; 5º Bielorússia, 135; 6º Irlanda, 120; 7º Roménia, 118; 8º Eslováquia, 16; 9º Bélgica, 111; 10º Hungria, 108; 11º Lituânia, 91.

Deixar Resposta