Quem já tem mínimos para as grandes competições da época…

0
536

Quase terminada a época de pista coberta (falta o Nacional de Sub’23 em Braga e o de veteranos em Pombal, no próximo fim-de-semana, e o Europeu de Veteranos, em Braga, no seguinte), vejamos como estamos em termos de atletas com mínimos para as grandes competições internacionais que se avizinham, a começar pelos Jogos Olímpicos e Campeonatos da Europa, para além do Mundial de Juniores e do Europeu de Juvenis. Em todas estas competições, há mínimos (ou marcas de qualificação) fixados pela federação internacional ou associação europeia, embora os prazos para a sua concretização tenham sido encurtados pela federação portuguesa que, salvo no caso dos Jogos Olímpicos, exige que as marcas tenham sido obtidas em 2020.

Vejamos, caso a caso, quem já obteve mínimos.

JOGOS OLÍMPICOS (Tóquio, 31-7/9-8):

São quatro os atletas que obtiveram mínimos em 2019. Patrícia Mamona já os confirmou esta época:

Pedro Pichardo         SL Benfica           triplo            17,62

João Vieira               Sporting CP         50 km M       3.46.38

Patrícia Mamona       Sporting CP         triplo            14,44 pc (14,38 pc em 2020)

Salomé Rocha          Sporting CP         maratona      2.24.47

CAMPEONATO DA EUROPA (Paris, 26/30-8):

Ao longo de 2019, nada menos de 30 atletas fizeram melhor que os mínimos neste Europeu que, por ser em ano olímpico, não terá provas de marcha e tem a maratona substituída por uma meia-maratona. Em 2020, quando as marcas contam para este efeito, são já 13 (5 masc. e 8 fem.) os que as fizeram, com destaque para as três lançadoras de peso. São eles:

Paulo Conceição      SL Benfica          altura            2,28pc

Pedro Pichardo        SL Benfica          triplo             17,00pc

Francisco Belo         SL Benfica          peso              20,84pc

Tsanko Arnaudov    SL Benfica          peso              20,73pc

Rui Pinto                SL Benfica          ½ maratona   1.03.07

Marta Pen              SL Benfica          1500 m          4.06,94 pc

Patrícia Mamona     Sporting CP         triplo             14,38 pc

Susana Costa          Sporting CP         triplo             14,09 pc

Auriol Dongmo        Sporting CP         peso              18,37 pc

Eliana Bandeira        SL Benfica          peso              17,39 pc

Francislaine Serra    Sporting CP         peso              17,19 pc

Irina Rodrigues        Sporting CP         disco             62,02

Liliana Cá                 AD N. Luzes        disco             60,09

Ainda terão mais cinco meses para tentarem mínimos, os seguintes atletas que os obtiveram em 2019: Diogo Antunes (100 e 200 m), Carlos Nascimento (100 m), Raidel Acea (400 m), Hélio Gomes (5000 m), Samuel Barata (1/2 maratona), André Pereira (3000 obst.), João Oliveira (110 bar.), Diogo Ferreira (vara), Ivo Tavares (comp.), Nelson Évora (triplo) – já está pré-convocado em função do seu título europeu de 2018, Tiago Pereira, Lorène Bazolo (100 e 200 m), Cátia Azevedo (400 m), Mariana Machado (1500 m), Sara Moreira (5000 m), Dulce Félix (10000 m), Salomé Rocha (10000 m), Vera Barbosa (400 bar.), Evelise Veiga (comp. e triplo), Lecabela Quaresma (heptatlo) e Catarina Ribeiro (1/2 maratona). Jéssica Inchude conseguiu mínimo no peso, tanto em 2019 como em 2020, mas, tendo a dupla nacionalidade, optou pela Guiné-Bissau em termos internacionais. Há vários outros atletas que estão pertos dos mínimos e os tentarão na época de ar livre que se avizinha.

CAMPEONATO DO MUNDO DE JUNIORES (Nairobi, 7/12-7):

São dois, os atletas já com mínimos (e ambos do GD Estreito), conseguidos este inverno: João Pedro Buaró, com 5,10 na vara, e Mariana Pestana, com 61,07 no martelo. Na época passada, mais sete os conseguiram, mas terão que os confirmar agora: João Peixoto (SC Braga) nos 800 m (1.50,72), Etson Barros (SL Benfica) nos 3000 m obstáculos (8.59,12), Daniela Amaro (GD Cavadas) nos 100 m (11,83), Bárbara Neiva (Sporting CP) nos 3000 m obstáculos (10.26,45), Sara Moreira (A Jardim Serra) nos 100 m barreiras (14,07), Juliana Guerreiro (Sporting CP) nos 400 m barreiras (59,88) e Adriana Ornelas (ADR Ág. Pena) nos 10000 m marcha (50.25,54).

CAMPEONATO DA EUROPA DE JUVENIS (Rieti, 16/19-7):

O período fixado pela Federação para a obtenção de mínimos é muito curto: de 1 de maio a 5 de julho. Este ano, já cinco atletas os conseguiram, mas terão que os confirmar: David Garcia (Sporting CP) nos 800 m (1.54,11pc), Ruben Pires (UD Várzea) nos 3000 m (8.32,67pc), Sisínio Ambriz (Benfica) no comprimento (7,37pc) e triplo (14,43pc), Inês Mendes (CN Rio Maior) nos 5 km marcha (24.55) e Catarina Torres nos 5 km marcha (25.31). Mais dois atletas superaram os mínimos em 2019, mas ainda não este ano: Leandro Monteiro (GD Cavadas) nos 2000 m obstáculos (6.13,85) e Beatriz Rios (A. Montanha) nos 3000 m (9.48,74) e 2000 m obstáculos (6.52,56).

Quem falhou o Mundial de pista coberta

O coronavírus anulou o Mundial de pista coberta, previsto para este mês (13 a 15 de março) em Pequim. Eram sete os portugueses com mínimos, embora apenas quatro deles obtidos ou confirmados este ano: Pedro Pichardo (triplo), Marta Pen (1500 m), Patrícia Mamona (triplo) e Auriol Dongmo (peso). Obtiveram os mínimos (da IAAF) em 2019 mas não os confirmaram este ano (e por isso a sua presença teria dependido da avaliação da FPA) Nelson Évora (triplo), Francisco Belo (peso) e Susana Costa (triplo). Fica a curiosidade…

Deixar Resposta