Raidel Acea e Patrícia Mamona (duas vezes!) batem recordes nacionais em Madrid

0
1086

O benfiquista Raidel Acea e a sportinguista Patrícia Mamona bateram esta sexta-feira os recordes nacionais de 400 m (com 46,74) e triplo (com 14,38 e 14,44), respetivamente, no decorrer do Meeting de Madrid.

Acea, que em novembro de 2017 se naturalizou português, ao mesmo tempo que Pedro Pichardo, ganhou a série B de 400 m e bateu o recorde que pertencia desde 1998 a Carlos Silva, com 46,80 em Génova. O atleta, nascido em Cuba há 28 anos, tem como principais recordes pessoais (ao ar livre) 45,18 aos 400 m (em 2015) e 1.45,62 aos 800 m (em 2011) e esteve no Mundial de Pequim’2015, fazendo parte da seleção cubana que foi sétima nos 4×400 m. Acea só na época passada, já em representação do Benfica, se estreou em pista coberta e este ano tinha conseguido 47,02 no fim-de-semana passado, em Pombal, marca que é mínimo para o Europeu de Glasgow, embora a autorização para a sua presença (dado ser atleta naturalizado) dependa da IAAF. Acea correu na série B dos 400 m, ganhando destacado em 46,74, contra 46,92 de Kennedy Luchenke. A série principal foi ganha pelo norte-americano Nathan Strocher, em 46,21.

No triplo, Patrícia Mamona, que começou o concurso com 14,11, melhorou no segundo ensaio para 14,31 e no terceiro para 14,38, batendo o seu próprio recorde nacional de pista coberta por dois centímetros. A atleta do Sporting tinha 14,36 como melhor desde 2014, em Pombal, e havia igualado o recorde no fim-de-semana passado, em Karlsruhe (Alemanha). Logo a seguir, no quarto ensaio, voltou a melhorar, agora para 14,44, subindo ao terceiro lugar da prova que foi ganha pela venezuelana Yulimar Rojas, com 14,92, a melhor marca mundial do ano, seguida da norte-americana Tori Franklin (14,57). A francesa Rouguy Diallo foi quarta, com 14,39. Patrícia Mamona concluiu a prova com um nulo e 14,11 nos dois últimos ensaios. Com 14,65 como recorde nacional de ar livre, ela reforçou assim a sua candidatura ao pódio do Europeu de Glasgow (foi 2ª há dois anos e campeã e vice-campeã europeia de ar livre em 2016 e 2012, respetivamente.).

Entretanto, na série B de 800 m, o júnior Marcelo Pereira foi quinto, com 1.54,72. Triunfou o espanhol Alberto Guerrero, em 1.49,30.

Deixar Resposta