Recordes e muito bom nível na 1ª jornada do Campeonato de Portugal

0
687

(Fotos FPA)

Foi muito positiva a 1ª jornada do Campeonato de Portugal de pista coberta, realizada este sábado, em Pombal.

Pedro BuaróDestaque especial para o recorde nacional do peso, que a sportinguista Auriol Dongmo voltou a conseguir, com 18,37, e para o recorde nacional júnior na vara, de João Pedro Buaró (GD Estreito), com 5,10. Mas houve ainda os recordes dos campeonatos de Anabela Neto (Sporting) na altura, com aquela que é a segunda marca nacional de sempre em pista coberta (1,86), e de Vera Barbosa (Sporting), surpreendente vencedora dos 400 m, com 53,34 (3ª de sempre). Destaque ainda para os 6,48 de Evelise Veiga no comprimento, marca que a coloca como segunda de sempre em pista coberta.

Mas vejamos, prova a prova, o que de mais relevante se verificou numa jornada na qual também não faltaram outras surpresas mas João Vieira confirmou o seu previsível 20º título nacional de 5000 m marcha, enquanto Ana Cabecinha somava o seu 10º nos 3000 m marcha.

MASCULINOS:

60 metros: Excelente prova, com quatro atletas separados por um centésimo e o júri incapaz de classificar três atletas, a quem foram atribuídos o segundo lugar! Diogo Antunes (Benfica) ganhou com 6,69, igualando a melhor marca nacional do ano, que lhe pertence. No 2º lugar, com 6,70, ficaram Frederico Curvelo (Benfica), com um recorde pessoal (tinha 6,74), subindo a 10º de sempre, Yazaldes Nascimento (Sporting) e Carlos Nascimento (Sporting). Uma nota para a presença de Pedro Pichardo (Benfica), apurado para a final (com 6,89) mas depois desclassificado por falsa partida.

400 metros: João Coelho (Benfica) reeditou o título do ano passado, desta feita com alguma surpresa. Conseguiu 47,62, derrotando o seu companheiro de equipa (e também sub’23) Mauro Pereira, que bateu o recorde pessoal por 16 centésimos, com 47,74 (4º sub’23 nacional de sempre). Sendo Mikael Jesus (Benfica) brasileiro (foi 3º com 48,65), o terceiro lugar do pódio foi para Bernardo Pereira (J. Serra) que bateu o recorde pessoal por um centésimo (48,86). Raidel Acea, o favorito, foi ausência de última hora.

1500 metros: Vitória natural (mas difícil) de Isaac Nader (Benfica), com 3.52,79, sobre Luís Monteiro (Sporting) – que liderou boa parte da prova – com 3.53,21. Inesperado o terceiro lugar de João Alves Lopes (SC Braga), com 3.53,57. Prova muito disputada, com cinco atletas separados por menos de dois segundos.

Vara: O favorito, Diogo Ferreira, arriscou ao prescindir de 5,22 depois de passar 5,10, mas perderia de qualquer forma quando falhou as três tentativas a 5,34, altura que Ruben Miranda (Sporting) passou à segunda tentativa, garantindo o título. Falhou depois o recorde pessoal a 5,46. O brasileiro Bruno Spinelli (Benfica) conseguiu um recorde pessoal (em pista coberta) de 5,34, mas participou extra. Diogo Ferreira partilhou o terceiro lugar com Pedro Buaró (GD Estreito), que esteve em excelente plano ao bater o recorde nacional de juniores, passando (à primeira) 5,10, mais quatro centímetros que a anterior marca de Ruben Miranda. Edi Maia (agora como individual) estreou-se esta época e passou 4,98 e tentando apenas uma vez (sem êxito) os 5,10.

Triplo: Sem Pedro Pichardo, Nelson Évora foi natural vencedor… mas sofrendo. Fez dois nulos iniciais, garantiu a presença nos três ensaios finais com 15,17 no terceiro ensaio e depois obteve 16,11 (que seriam insuficientes) e 16,51, marca que lhe garantiu folgado triunfo (fez nulo no último ensaio). Tiago Pereira (Sporting) conseguiu 16,20 no 2º ensaio, fez nulo no terceiro mas já não saltou mais. E acabou por ser ultrapassado no 2º lugar por Carlos Veiga (SC Braga), com 16,22 no último ensaio. Recorde pessoal para o sub’23 Tomás Dinis (Sporting), 5º com 15,30.

5000 m marcha: 20º título para João Vieira (Sporting), com o bom tempo de 19.38,98, nada menos de um minuto e 16 segundos de vantagem sobre o segundo, Rui Coelho (CA Seia), com 20.55,10, e quase três minutos sobre o terceiro, Cristiano António (CA Seia), com 22.28,16. Nível global bem modesto…

Heptatlo: Três benfiquistas na luta pelo título, separados por apenas pouco mais de 100 pontos no final da 1ª jornada. Lidera o ex-cubano Abdel Larrinaga, com 3079 pontos, mais cinco pontos que o seu recorde pessoal da época passada (parciais: 60 m – 7,28; comprimento – 6,97; peso – 13,46; altura – 1,95). Mas a grande figura tem sido Edgar Campre, que progrediu quase 700 pontos relativamente à sua marca do ano passado! Soma agora 3041 pontos (7,07-7,05-13,17-1,86). Manuel Dias, campeão em 2019, segue mais atrasado (2933 p), com apenas menos 29 pontos que há um ano (7,18-7,11-12,24-1,83). A 2ª jornada promete…

FEMININOS:

60 metros: Com Tamiris de Liz desclassificada (falsa partida) na eliminatória, Lorène Bazolo passou a ser a grande favorita na prova, embora com o título sempre assegurado, pois Tamiris é brasileira. Bazolo marcou larga superioridade, ganhando com 7,35, a um centésimo do seu melhor desta época. Arialis Martinez (Benfica) foi segunda, mas é cubana, pelo que a vice-campeã nacional foi Olímpia Barbosa (Sporting), com 7,49, recorde pessoal (por três centésimos) que a coloca como 10ª portuguesa de sempre. Fechou o pódio Daniela Amaro (GD Cavadas), com 7,70, já que Gorete Semedo (GA Fátima), que gastou 7,51, é são-tomense.

400 metros: Surpreendente vitória de Vera Barbosa (53,34 – recorde de pessoal e dos campeonatos) sobre Cátia Azevedo (53,43), que há muito não perdia a nível nacional, numa prova muito disputada e resolvida sobre a meta, com Vera a passar Cátia, que fez a última volta sempre na frente. Vera tinha como melhor 53,63 já esta época. Dorothé Évora fechou o pódio com 54,16, a cinco centésimos do seu melhor.

1500 metros: A jovem Mariana Machado (SC Braga) estreou-se nos Campeonatos de Portugal com um título e uma boa marca (4.13,98), graças a um ritmo imposto de início por Camila Gomes. Ficou a cerca de segundo e meio do seu melhor. Carla Mendes (SC Braga) foi segunda com um bom recorde pessoal de 4.18,79 e Joana Soares (J. Serra) fechou o pódio com 4.24,69… e mais de 12 segundos de vantagem sobre a quarta.

Altura: O Campeonato começou da melhor forma, com um novo recorde dos campeonatos por parte de Anabela Neto (Sporting), que passou 1,86, mais um centímetro que o seu anterior recorde pessoal (e dos campeonatos), que foi conseguido em 2015. Em pista coberta, apenas a recordista Naide Gomes fez melhor (1,88). Ao ar livre, apenas Sónia Carvalho fez mais (igualmente 1,88). Anabela Neto passou, antes, 1,71, 1,74 e 1,80, sempre à primeira tentativa. Depois, falhou (mas dando boas indicações) a 1,90. Jennifer Gomes (Grecas) foi segunda, com 1,71, e Ana Oliveira (GA Fátima), com 1,68, fechou o pódio, não havendo mais atletas classificadas…

Vara: Marta Onofre foi a natural campeã, começando a competir aos 4,05, nada menos de meio metro acima das últimas tentativas da segunda classificada! Passou depois 4,25 (à primeira tentativa), mas falhou os 4,35. A belga Chloe Henry foi a sua principal adversária, igualmente com 4,25, mas à terceira tentativa. A disputa pelos dois outros lugares no pódio, entre as restantes seis atletas nacionais, foi favorável a Sofia Carneiro (Maia AC), com 3,45 (2ª) e Andreia Grácio (J. Vidigalense), com 3,30 (3ª), mas ambas (como as restantes), aquém do seu melhor.

Comprimento: Evelise Veiga (SCP) confirmou o favoritismo e com um recorde pessoal de 6,48 no segundo ensaio (tinha 6,46). Apenas a recordista nacional Naide Gomes tem melhor em pista coberta (7,00). Evelise fez ainda 6,41 no 5º ensaio e 6,34 no 6º.

A ex-cubana Yariadmis Arguelles, já naturalizada e este ano participando como individual, foi segunda com 6,30 no seu único ensaio válido (o 2º). Progressão ainda para a são-tomense Agate Sousa (GA Fátima), que melhorou de 6,02 para 6,20. Fechou o pódio Lucinda Gomes (Sporting), com 6,02

Peso: Excelente concurso, com três atleta acima dos 17 metros e a quarta lá perto. Mas ainda há três anos, as três primeiras eram estrangeiras… Auriol Dongmo (Sporting), a última a naturalizar-se, abriu com 17,82 e, depois de três nulos, voltou a bater o recorde nacional, com 18,37, mais seis centímetros que a marca conseguida no início do mês. Eliana Bandeira (Benfica), que havia conseguido 17,02 ao ar livre há uma semana, melhorou agora para 17,39 (e com outro ensaio a 17,31), sendo agora a segunda portuguesa de sempre, à frente da malograda Teresa Machado, com 17,26 há… 22 anos! Fechou o pódio Francislaine Serra (Sporting), também com um folgado recorde pessoal, de 16,53 para 17,19 (e, antes, 16,69)! Fora do pódio, ficou Jéssica Inchude (Sporting), quarta com 17,15, a dois centímetros do seu melhor desta época. Destaque especial, ainda, para Débora Quaresma (Sporting), júnior de 1º ano, que já está acima dos 14 metros (14,11), marca que a coloca como 3ª júnior nacional de sempre em pista coberta.

3000 m marcha: Larga (e esperada) superioridade de Ana Cabecinha (CO Pechão), que conquistou o seu 10º título nacional na distância, com 12.34,10, a sua sexta marca de sempre. Vitória Oliveira (SC Braga) foi folgada segunda, com 13.15,36, e Joana Pontes (Leiria MA) fechou o pódio com 13.52,91, um novo recorde pessoal.

Realizaram-se ainda provas extra para veteranos de 60 e 200 metros, com vitórias de Marco Veloso (Belenenses), com 7,39 e 23,41, e Sandra Borges (CF Oliv. Douro), com 8,58 e 28,18.

Deixar Resposta