Recuperar recorde mundial é objetivo (difícil) da «Meia» de Lisboa

0
86

A 29ª edição da Meia-Maratona de Lisboa, a realizar este domingo, tem como objetivo recuperar o recorde mundial que Zerzenay Tadese bateu na edição de 2010, com 58.23, e foi melhorado em outubro de 2018, em Valência, pelo queniano Abraham Kiptum, com menos cinco segundos (58.18). Como habitualmente, há um cheque de 50 mil euros para quem bater o recorde (masculino ou feminino). São sete os atletas inscritos que já baixaram dos 60 minutos, com destaque para o vencedor do ano passado, o queniano Erick Kiptanui, que fez 60.05 em Lisboa e, depois, 58.42 em Berlim. Outros são o etíope Mosinet Geremew (59.11 em 2014 e 59.48 em 2018), e os quenianos Solomon Yego (58.44 em 2016), Bernard Kiprop Koech (59.10 em 2012), Micah Kogo (59.07 mas já em 2012; foi 2º em Lisboa’2015, com 59.33), Simon Cheprot (59.20 em 2013) e Edwin Kiptoo (59.26 em 2015). Há depois numerosos africanos com tempos na casa dos 60 minutos, só se lamentando (mais uma vez) a escassa presença nacional. Estão inscritos, entre outros, Rui Pinto, Hermano Ferreira e Bruno Paixão, o melhor português em 2018 – 22º.

No setor feminino, Portugal apresentar-se-á este ano bem melhor, com Dulce Félix, Sara Moreira e Jéssica Augusto, esta a preparar a presença na Maratona de Hamburgo, a 28 de abril. Dulce, em 2013, e Sara, em 2015, foram segundas, mas não será fácil voltarem ao pódio. A vedeta será a queniana Vivian Cheruiyot, campeã olímpica de 5000 m (2016) e mundial de 5000 m (2009 e 2011) e 10000 m (2011 e 2015), para além de várias outras medalhas. Ela foi segunda em Lisboa’2017, com 1.09.44 e tem 1.07.43 na favorável meia-maratona de South Shields. Outras candidatas serão Gelete Burka, com 1.06.11 como recorde pessoal em Valência’2018, e Zeineba Yimer, que já este ano correu em 1.05.46. O recorde da prova pertence desde 2001 a Susan Chepkemei, com 1.05.44.

A prova iniciar-se-á às 10.30 h, com partidas de Algés (para a élite) e da Ponte 25 de Abril (para a grande massa), realizando-se em simultâneo uma mini-maratona de 7 km. Na véspera (sábado), disputar-se-á uma prova de 7 km entre o Jamor e Belém. As inscrições estão há vários dias esgotadas e a organização aponta 35 mil concorrentes às várias provas. O recorde de classificados na meia-maratona está em 10.582, na edição de 2017. No ano passado, devido ao mau tempo, não pode ser utilizada a Ponte 25 de Abril.

Deixar Resposta