Regionais lisboetas com alguns primeiros planos

0
2426

Há 40/50 anos, os Campeonatos de Lisboa eram tão importantes como os Campeonatos Nacionais e a luta Sporting-Benfica enchia as bancadas dos Estádios de Alvalade ou da então FNAT (agora Inatel)… com entradas pagas! Atualmente, são mais uma competição aonde vão alguns (poucos) primeiros planos e a luta pontual entre os dois clubes quase passa desapercebida.

Este ano, com os lançamentos na Alta do Lumiar e as restantes provas no 1º de Maio, registou-se a presença de alguns primeiros planos e Benfica no setor masculino (167,5-154,5 p.) e Sporting no feminino (135-110 p.) ganharam os despiques coletivos, com o JOMA em terceiro lugar nos dois sexos (51 e 56 pontos, respetivamente).

Nos lançamentos, destaque para as presenças de Francisco Belo (58,47) e Irina Rodrigues (56,79), no disco, e para os progressos de Esmeraldino Trigo, angolano do Benfica, no dardo (61,01). Não houve martelo masculino por falta de atletas. António Vital Silva (68,54) e Dário Manso (68,00) competiram no dia seguinte na Maia, como extras no Campeonato do Norte e Vital Silva (68,95) ainda foi domingo aos Campeonatos de Aveiro…

Nas corridas, registaram-se vitórias de dois veteranos: Francis Obikwelu nos 100 m, com 10,62 (recorde nacional dos 38 anos), à frente de Pedro Bernardo, 10,65 (Obikwelu foi aos 200 m no domingo, sendo segundo na série B, com 22,56); e Sandra Teixeira nos 800 m, com 2.15,36, recorde dos 39 anos (foi depois 3ª nos 1500 m, com 4.37,31). Quanto a primeiros planos, registo para as presenças de Lorène Bazolo (11,49 aos 100 m), Paulo Conceição (2,10 na altura) e dos varistas Edi Maia (5,25) e Cátia Pereira (4,15). Referência ainda para os 13,81 de Andreia Felisberto nas barreiras.

Escola do Movimento e Maia AC campeões do Norte

Entretanto, na Maia, realizou-se mais uma edição do Campeonato do Norte, que reúne a generalidade dos melhores atletas das associações nortenhas. Coletivamente, a Escola do Movimento (151 p.) superiorizou-se ao SC Braga (132) e ao Maia AC (102), no setor masculino, e o Maia AC sagrou-se campeão feminino (144 p.), à frente de SC Braga (99) e Escola do Movimento (90).

Em termos de marcas, o setor masculino esteve bem melhor. Destaque para Mário Marques no dardo (63,47), André Silva nos saltos horizontais (7,35 e 14,57), Rafael Vilas Boas na altura (2,02), Edi Sousa nos 100 m (10,88), João Venade no martelo (56,89). No setor feminino, “bisaram” títulos Rafaela Hora (25,97 e 57,47 nos 200 e 400 m), Maria Carvalho (2.20,10 e 4.53,72 nos 800 e 1500 m), Mariana Novo (5,25 e 12,25 no comprimento e triplo) e Elsa Cruz (11,32 e 37,70 no peso e disco).

Aveiro e Madeira

Realizaram-se ainda os Campeonatos de Aveiro (em Vagos) e Madeira (Ribeira Brava). Em Vagos, destaque para o salto em altura, com Filipe Guerreiro a melhorar para 2,06 e Cláudio Pardal para 2,03. Na prova feminina, Jennifer Gomes passou 1,65 e Anabela Neto, participando extra, 1,80, na primeira das três provas que fez (12,76 no triplo e 14,97 nas barreiras). Triunfos coletivos para o Campismo (masculinos) e Grecas (femininos). O Grecas foi campeão sub’23 em ambos os sexos.

Na Madeira, Rosalina Santos soma e segue: mais três títulos, de 100 m (11,91/+2,3, depois de 11,89/+1,8 na eliminatória), 200 m (24,71/v:-1,4) e comprimento (5,79/v:+0,9). Aos 40 anos, Hélder Fernandes ainda passa 4,35 m (há dias) e 4,30 (agora). E, aos 37 anos, Cristina Ferreira ainda lança o dardo a 43,29 m (há dias) e 41,72 (agora). Décio Andrade continua regular acima dos 60 m no martelo (60,11). Coletivamente, triunfos para o GD Estreito, com o Jardim da Serra em segundo lugar.

 

Deixar Resposta