Respiração e pulsação, formas de ouvir o seu corpo

0
533

Respirar é um ato tão prosaico e habitual que nem nos damos conta de que o executamos. Porém, quando falamos de atletas, populares ou de alto rendimento, esse ato ganha contornos específicos e merece uma maior atenção.

Na vida de um atleta, o ato de respirar está associado ao desempenho, à fadiga e à qualidade da atividade desportiva. A respiração é um parâmetro de como está acontecendo o treino, uma referência dos limites do corpo.

Respirar, ou melhor, atentar para a respiração, pode ser um momento precioso em que o praticante de um desporto pode tomar consciência do seu esforço, da sua capacidade.

Pode até ser um momento de tomar a decisão de mudar a estratégia de uma prova. Estar atento à respiração é uma boa oportunidade de tomar consciência das condições do seu corpo.

Fique atento a como respira em repouso – quando está vendo televisão por exemplo, verifique: a sua inspiração é mais longa ou mais breve do que a expiração? Realiza movimentos abdominais enquanto respira? Qual é o tempo de um ciclo respiratório inteiro?

Quando estiver iniciando o exercício, verifique as mesmas coisas, bem como durante todas as fases do treino e até meia hora depois do seu final e compare cada uma delas. Perceberá diferentes momentos, formas distintas de respirar em momentos diversos.

Depois de ter feito essa observação, vamos torná-la mais refinada. Enquanto respira, imagine o ar entrando e saindo pelas suas narinas ou boca; tente traçar o caminho que ele faz até ao seu pulmão, imagine-o inalando e esvaziando, tente sentir a quantidade de ar que está capturando e expelindo.

Finalmente, tente relacionar a sua respiração com o seu pulso sanguíneo, sinta o que acontece com o seu coração nos mais diversos tipos de respiração, imagine a quantidade de sangue e o percurso do sangue em cada batida.

Se conseguir tomar consciência da sua respiração e pulsação, conseguirá perceber qual é o estado do seu corpo no momento exato do treino e poderá traçar estratégias para reduzir a fadiga ou evitá-la durante uma prova de longa duração, por exemplo.

Num sentido mais amplo, poderá controlar melhor as suas reservas de energia, irá perceber o exato momento de dar um sprint ou de diminuir um pouco o ritmo, de mudar o padrão respiratório e tentar uma recuperação. Poderá sentir o melhor momento de hidratar-se ou de suplementar-se, pois a atenção à sua respiração colocá-lo-á em contacto com o seu corpo. Terá um indicador subjetivo do seu treino, sendo capaz de imprimir um ritmo mais leve ou pesado conforme planear para aquele dia.

Resumindo: Atentar para a respiração e para a pulsação, possibilita uma escuta das linguagens do corpo. O seu corpo está a todo o momento a lhe dizer sobre si. É preciso saber escutá-lo.

Deixar Resposta