Sara Marinho/A paixão pelo desporto e pelas maratonas em particular

0
671

Sara Marinho tem 29 anos e corre atualmente pelo Clube Futebol Os Belenenses. Começou a praticar desporto desde muito nova e já apresenta um bonito curriculum, com vários triunfos e subidas a pódios. A maratona é a sua distância preferida. Adora música e costuma cantar e tocar com o seu esposo João Marinho, também atleta.

A lisboeta Sara Marinho é uma jovem de 29 anos mas já com uma bonita história para contar no atletismo. Muito educada e simpática, conhecemo-la no final da Maratona de Lisboa em 2016 (onde foi a terceira portuguesa com 3h09m31s), quando lhe fizemos uma pequena entrevista no final da prova e nos disse que não tinha treinado especificamente para a distância!

Sara a cortar a metaComeçou a correr aos 13 anos porque ainda não tinha idade para se inscrever no ginásio. Corria diariamente no Passeio Marítimo e logo que pôde inscrever-se no ginásio, passou a treinar lá todos os dias, hábito (ou “vício”, como ela diz) que mantem até hoje. Aos 16 anos, correu a sua primeira prova oficial, a Corrida do Tejo. “Para mim, será sempre uma prova especial, por ser mesmo à porta de casa, num cenário muito bonito, que é o cenário da minha vida, e em que encontro sempre muitas pessoas conhecidas e de quem gosto”.

Os treinos são no ginásio…

Aos 21 anos, ingressou no NúcleOeiras, passando então a participar em provas de forma mais regular. Depois de vários segundos lugares, venceu no escalão sénior o Troféu da Localidades da CM Oeiras. Corre atualmente pelo Clube de Futebol Os Belenenses, sem um treinador nem um plano de treinos. “No âmbito estrito do atletismo, não treino. Treino, sim, todos os dias no ginásio e corro ocasionalmente, quando me apetece ou não tenho hipótese de ir ao ginásio”.

“Vou fazendo aquilo que me apetece no momento”

Como conciliar a vida familiar com a profissional e desportiva

Sara com bebé 1Sara conheceu o seu esposo João Marinho num Campeonato Regional de Corta-Mato e é mãe de uma menina de dois anos. É farmacêutica, com horários “pouco recomendáveis” para quem tem uma família e pratica desporto. Ainda assim, diz-nos que lhe tem sido fácil conciliar os treinos com a família. “Porque partilhamos a mesma paixão (ou vício) pelo desporto e o treino é algo em torno do qual organizamos todos os nossos dias. Na prática, exige muita compreensão, entreajuda e paciência. Todos os dias, levamos a nossa filha de dois anos para o ginásio, algo que ela adora, e treinamos por turnos. Por vezes, vou treinar correndo com ela no carrinho e, nas provas, se ambos participarmos, um de nós corre com o carrinho dela. Quanto à vida profissional, tenho a sorte de trabalhar numa empresa muito especial, com pessoas que se preocupam umas com as outras e em que consigo ter flexibilidade suficiente para que os treinos continuem a fazer parte da minha vida, bem como participar em provas de atletismo”.

Até ao nascimento da sua filha, Sara participava em provas todos os fins de semana. “Desde então, tenho participado em menos provas e, atualmente, como trabalho aos fins de semana, estou a tornar-me mais seletiva mas diria que, em média, estou a fazer duas provas por mês”. Sara e o seu esposo, são dois bons exemplos de que querer é poder. Quantos não arranjam desculpa que não têm tempo para praticar desporto porque têm um bebé?

Maratona de Berlim e Corrida do Fim da Europa, as suas provas preferidas

Sara-1ªSão muito raras as provas que Sara não tenha gostado. Mas a eleger aquela que mais a seduziu, escolhe a Maratona de Berlim. “Por tudo o que representou para mim, por ser a minha primeira maratona e por ter sido uma experiência marcante, a ponto de mudar algo do que sou hoje e de influenciar alguns acontecimentos futuros, deixando-me ‘viciada’ na distância”.

Já a nível nacional, escolhe a Corrida do Fim da Europa que venceu em 2019. “Embora a nível de organização e logística, haja muitos aspetos com os quais não concordo, beneficia de um cenário lindíssimo que, em mim, se reflete em fazer a prova com um entusiasmo inesgotável”.

“Penso correr enquanto continuar a fazer-me feliz e o corpo assim o permitir”

Maratona de Madrid, a de piores recordações

A prova em si não teve culpa mas esta foi aquela que lhe deixou piores recordações. “Posso ser injusta com esta prova mas um conjunto de circunstâncias, em que se destacou uma chuva diluviana no decorrer de toda a prova, fez com que a Maratona de Madrid tivesse sido, para mim, uma experiência muito desagradável”.

Correr maratonas sem treinos específicos

Sara-quadroOs seus recordes pessoais são 38m05s aos 10 km, 1h26m à Meia Maratona e 3h08m à Maratona. Esta, é aliás, a sua distância preferida. Daí que o momento da carreira que mais a marcou foi numa das edições da Maratona de Lisboa, onde se classificou nos primeiros lugares e foi a segunda portuguesa, um momento inesperado para si. “Marcaram-me muito todas as maratonas que fiz fora de Portugal, as corridas que ganhei, especialmente a Corrida do Fim da Europa e marcou-me muito a primeira maratona que fiz após a minha filha nascer, como sempre sem qualquer treino específico, em que fui sem saber se iria só fazer um treino ou concluir a prova e acabei por fazer apenas mais dois minutos que o meu melhor tempo na distância, concluindo em 3h10m”.

“Desejo que a inércia, inatividade e falta de motivação que vejo em grande parte dos jovens hoje em dia, não prejudique a descoberta e florescimento de grandes talentos”

Fazer desporto, sempre!

Sara-medalhasCom uma vida tão preenchida, Sara não faz planos nem tem projetos. “Vou fazendo aquilo que me apetece no momento”. E até quando pensa correr? “Corro porque me faz feliz. Portanto, penso correr enquanto continuar a fazer-me feliz e o corpo assim o permitir”. No mundo das corridas, aprecia particularmente “o convívio, a partilha e os laços que se criam”.

Costuma fazer exames médicos de rotina e até agora, as lesões nunca a visitaram. Quanto à alimentação, até ao nascimento da sua filha era vegan. “Atualmente, sou vegetariana e tenho uma alimentação muito diferente dos padrões habituais, por ser aquela com a qual o meu organismo funciona melhor”.

Cantar e tocar música com o esposo

Adora música e costuma cantar e tocar com o seu esposo. Gravam músicas mas não gosta de treinar com música, nem de música durante as provas.

E se não estivesse no atletismo, que modalidade gostaria de ter seguido? Refere-nos o fitness/ginásio e a sua nova paixão desportiva, a natação. “Nado pelo menos três vezes por semana. O triatlo é também uma modalidade que adoro e, ocasionalmente, participo em provas da modalidade, apenas com o objetivo de superação própria”.

Futuro da modalidade é risonho

Sara com bebé e maridoNa sua opinião, a modalidade apresenta-se com um futuro bem encaminhado mas mostra-se crítica para com os jovens. “Desejo que a inércia, inatividade e falta de motivação que vejo em grande parte dos jovens hoje em dia, não prejudique a descoberta e florescimento de grandes talentos”.

A terminar, Sara convida os leitores a acompanhar as aventuras desportivas da sua família no seu blog “dafarmaciaameta.com“, na sua página do Facebook “Sara Marinho – atleta” e no Instagram em “m4sara”.

Até onde podia ter chegado Sara Marinho se houvesse optado a sério pelo atletismo? Se desde cedo, tivesse um bom treinador a orientá-la?

 

 

 

Deixar Resposta