Mundial Doha/Sidorova (vara) e Fraser Smith (100 m) com melhores marcas mundiais do ano

0
928

Nas restantes finais do 3º dia do Mundial de Doha, para além do triplo e dos 20 km marcha, nas quais participaram atletas portugueses, há a destacar as melhores marcas mundiais do ano de Anzhelika Sidorova na vara (4,95) e de Shelly-Ann Fraser Smith nos 100 m (10,71).

Excelente a final feminina de salto com vara. A russa Anzhelika Sidorova e a norte-americana Sandi Morris, passaram à primeira todas as alturas de 4,50 a 4,90 (incluindo 4,80 e 4,85) e o título só se decidiu no último ensaio de Sidorova a 4,95, que ela passou, batendo por 4 cm o recorde pessoal e subindo a terceira de sempre. Morris ficou a 10 cm do seu melhor (5,00). A grega Katerina Stefanidi conseguiu a medalha de bronze, com 4,85 à 2ª tentativa, falhando depois 4,90 (um ensaio) e 4,95 (dois).

Boa superioridade da jamaicana Shelly-Ann Fraser Smith nos 100 metros. Com 10,71 (v:+0,1), deixou a britânica Dina Asher-Smith a 12 centésimos (10,83) e Marie-Josés Ta Lou (Costa do Marfim) e 19 centésimos (10,90). A vencedora conseguiu a melhor marca mundial do ano (e ficou a um centésimo do seu recorde pessoal) e Asher-Smith bateu o recorde britânico por dois centésimos.

A estafeta mista de 4×400 m proporcionou uma esperada vitória (e folgada – cerca de dois segundos e meio) aos Estados Unidos que, com 3.09,34 melhoraram o (ainda pouco relevante) recorde mundial, que detinham desde a meia-final (3.12,42). Jamaica (3.11,78) e Barhain (3.11,82) completaram o pódio. Todas as equipas exceto a Polónia utilizaram os homens nos 1º e 4º percursos. Os polacos utilizaram-nos nos dois primeiros, chegaram a ter apreciável vantagem, mas acabaram na 5ª posição. Ou a IAAF define percursos obrigatórios para homens e mulheres ou a prova é pouco menos que ridícula. Mas mesmo com essa definição não parece ter cabimento…

Nas eliminatórias realizadas neste domingo, as melhores marcas pertenceram a Adam Gemili (GBR) nos 200 m (20,06) e Wesley Vazquez (Porto Rico) nos 800 m – meias-finais (1.43,96).

Cátia Azevedo única portuguesa na 4ª jornada

A 4ª jornada, a realizar esta segunda-feira, contará com apenas uma atleta portuguesa em ação: às 16.20 h (portuguesas) correrá a 1ª das seis séries de 400 m, apurando-se para as meias-finais de terça-feira as três primeiras de cada mais seis tempos (24 ao todo). Cátia, que este ano bateu o recorde nacional com 51,62, correrá na pista 6 e tem o quinto tempo da época entre as oito concorrentes da sua série.

Nesta jornada realizar-se-ão as finais de altura fem. (16.30 h), disco masc. (17.15 h), 5000 m masc. (17.20 h), 3000 m obstáculos fem. (17.50 h), 800 m fem. (20.10 h) e 400 m barreiras masc. (20.40 h).

Deixar Resposta