Só três sub’30 anos no top’15 do Nacional masculino de Corta-Mato

0
2475

(Foto de arquivo)

Apenas três atletas, entre os primeiros 15 do setor masculino do Campeonato Nacional de Corta-Mato têm menos de 30 anos. Todos os restantes 12 têm acima de 40 anos (dois!), entre 35 e 39 anos (3) e entre 30 e 34 anos (7). Não se pode dizer que estes últimos já estejam “velhos” para a modalidade, mas a margem de progressão começa a ser muito ténue.

Refira-se, desde já, a título de curiosidade, que o novo campeão, Rui Teixeira, a quatro dias de completar 35 anos de idade (a 22 deste mês), tornou-se o quinto mais velho campeão nacional de corta-mato de sempre, a seguir a Eduardo Henriques (2008) e Domingos Castro (2003), ambos com 39 anos quando foram campeões; Nelson Cruz (2016), com 38 anos; e Carlos Lopes (1984), com 37. Anacleto Pinto é o mais jovem campeão de sempre (18 anos em 1966) e Rui Pinto foi o 4º mais novo ao vencer em 2015, com 22 anos. Rui Pinto (25 anos agora), Samuel Barata (a um dia de completar 25) e Miguel Marques (23 anos) foram os únicos sub’30 entre os 15 primeiros deste campeonato. Com 30 anos estiveram no top’15 Tiago Costa (mas apenas 12º) e Nuno Lopes (15º). Os mais velhos foram Licínio Pimentel (9º) e Ricardo Ribas (11º), ambos já com 40 anos.

Catarina aos 27 anos

No setor feminino, haverá que colocar à parte as seis melhores portuguesas, bem acima de todas as demais. Destas seis, duas não correram, a “mamã” Dulce Félix (35 anos) e a lesionada Salomé Rocha (27), uma desistiu por lesão, Jéssica Augusto (36 anos), e três ocuparam os três primeiros lugares: Catarina Ribeiro (17 anos), Sara Moreira (32) e Inês Monteiro (37). Ou seja, do top’6 nacional, apenas Catarina Ribeiro e Salomé Rocha estão aquém dos 30 anos.

Entre os 4º e 10º lugares do Nacional, houve mais duas atletas com 29 anos, uma com 26 e a jovem (19 anos) Manuela Martins, 10ª classificada e que se apresenta como a que mais parece prometer, entre as já seniores ou sub’23. Realce ainda para a persistência de Carla Martinho, de 41 anos, ainda quinta classificada!

Recorde-se que, ao sagrar-se campeã em 2017, com 35 anos, Jéssica Augusto tornou-se a mais velha campeã nacional de sempre. Rosa Mota, campeão em 1975 com 16 anos, continua a ser a mais nova.

Refira-se ainda outra curiosidade, esta fora da questão das idades: os seis segundos de vantagem de Catarina Ribeiro sobre Sara Moreira são a quinta menor diferença de sempre entre as duas primeiras, a seguir às vitórias de Carla Sacramento em 2003 (1 s), 2002 (2 s), em ambos os casos sobre Anália Rosa, e 2000 (4 s) e aos também quatro segundos que mediaram entre Dulce Félix e Salomé Rocha no campeonato de 2014.

Deixar Resposta