Sporting (18 vitórias em 21 provas) ganha título feminino a 7 pontos do máximo e deixa o Benfica a 26

0
1244

(Foto FPA)

Larga (e esperada) superioridade do Sporting na I Divisão feminina, prova na qual ganhou 18 das 21 provas e perdeu apenas sete pontos, mais três que o recorde de pontuação (164) de 2012 e 2016. Foi o nono título consecutivo, ganho com 26 pontos de vantagem sobre o Benfica (161-135), que mesmo assim, conseguiu a sua melhor pontuação das últimas quatro épocas, apesar do 6º lugar nos 400 m barreiras e do 5º no dardo, na 2ª jornada. O Sporting só não ganhou três provas: 1500 e 3000 m, com triunfos de Marta Pen (foram as duas únicas vitórias benfiquistas) e os obstáculos (vitória de Joana Soares, do Estreito). Mas nesta prova, o Sporting foi “apenas” 3º, enquanto nos 3000 m desceu para inesperado 5º posto.

Na luta pelo terceiro lugar do pódio, a J. Vidigalense não se deixou surpreender e manteve a presença pelo oitavo ano consecutivo (duas vezes 2ª, seis vezes 3ª). Somou 97 pontos, contra 89 do SC Braga. Seguiram-se Jardim da Serra, que repetiu o 5º posto da época passada, com 85 pontos (perto da equipa minhota…), Grecas (64), Estreito (63) e UC Eirense (60).

Vejamos, prova a prova:

100 m barreiras: Vitória esperada (e folgada) da sportinguista Olímpia Barbosa, com 13,80, sobre Catarina Queirós, J. Serra (14,39) que sobre a meta superou a benfiquista Fatumata Balde, em desequilíbrio (14,39). Raquel Lourenço (J. Vidigalense) foi 4ª com 14,48, superando a bracarense Vera Castro (6ª – 16,06).

800 metros: Despique muito cerrado, com a benfiquista Patrícia Silva (2.11,71), que liderou quase sempre mas de forma lenta, a dar grande réplica à favorita Salomé Afonso, que ganhou sobre a meta (2.11,58). Carla Mendes (J. Vidigalense) foi 3ª com 2.13,76, bem à frente da atleta do SC Braga (6ª).

400 m barreiras: Grande (8,5 segundos!) superioridade de Vera Barbosa, vencedora com 57,27, à frente de Vera Lima, Grecas (65,79). O Benfica foi apenas 6º (Carolina Ribeiro) e a J. Vidigalense foi último, permitindo ao SC Braga (5º) recuperar três pontos.

Triplo: Patrícia Mamona (Sporting) abriu com 14,10 (+0,0), prescindiu de dois ensaios e concluiu com 13,61. Na luta pelo 2º lugar, a bracarense Shaina Mags, com 12,79 a abrir, derrotou a benfiquista Lecabela Quaresma (12,66). Suzana Cruz (UC Eirense) foi 4ª com 12,43. A J. Vidigalense conseguiu o 5º lugar (Juliana Brites, 12,31) e, a quatro provas do fim, as duas equipas estavam igualadas pontualmente.

200 metros: Vitória bem folgada de Lorène Bazolo, com 23,67 (v:+0,9), face a Catarina Lourenço (Benfica), com 24,34, e Sara Seabra (UC Eirense), com 25,24. A J. Vidigalense (4ª Joana Carlos 25,36) superou o SC Braga (7º lugar).

Peso: Vitória natural da camaronesa Auriol Dongmo, com 17,49, contra 15,93 da benfiquista Eliana Bandeira. Antónia Borges (Estreito) foi 3ª com 13,17, seguida de Inês Carreira, J. Vidigalense (12,28) e de Elsa Cruz, SC Braga (10,97).

3000 metros: Grande luta entre Marta Pen (9.21,55), que deu 2º triunfo ao Benfica, e Mariana Machado (SC Braga), 2ª com 9.21,86, decidida sobre a meta, depois da júnior bracarense ter estado em vantagem a meio da reta. Joana Soares (J. Serra) não ficou longe e a surpresa foi o apenas 5º lugar sportinguista de Salomé Rocha (uma maratonista…), com 9.46,01, também derrotada por Cátia Santos (Estreito), que gastou 9.27,69. A J. Vidigalense foi 6ª.

Vara: Marta Onofre (Sporting) começou o concurso quando todas as outras já tinham terminado. Passou 3,90 e 4,10 à primeira, falhando depois a 4,25. A benfiquista Beatriz Batista garantiu o 2º lugar com 3,45 e não continuou e Andreia Grácio (J. Vidigalense) foi 3ª com 3,25. O SC Braga foi 8º.

Dardo: Vitória natural da sportinguista Cláudia Ferreira, novamente acima dos 50 m (50,69 a fechar o concurso), seguida de Flávia Costa (J. Vidigalense), com 44,69, e Marlene Araújo (SC Braga), com 43,71. O Benfica foi apenas 5º.

4×400 metros: Com Vera Barbosa a abrir e sem Cátia Azevedo, o Sporting marcou nítida superioridade (18 segundos!) sobre o Benfica (3.40,98-3.58,95). Terceiro lugar para a J. Vidigalense (4.02,82), que já tinha o lugar no pódio coletivo praticamente garantido. O SC Braga foi 5º nesta prova.

Deixar Resposta