Sporting (F) campeão europeu, Benfica (M) segundo

0
2091

Elas recuperaram 13 pontos de atraso; eles ficaram a 4,5 pontos do título 

Inesperadamente, depois da desclassificação da equipa de 4×100 m na 1ª jornada, o Sporting renovou o título europeu feminino de clubes, depois de uma excelente segunda jornada, enquanto o Benfica não confirmou as esperanças que tinha no final da jornada inaugural, ficando a 4,5 pontos do título, que ainda não foi desta que alcançou. A formação turca (e repleta de estrangeiros…) do Enka foi a grande adversária.

O Sporting fez uma excelente segunda jornada, que lhe permitiu não só recuperar os 13 pontos que tinha de atraso como ganhar o título com dois pontos de vantagem, conquistados na decisiva estafeta final de 4×400 metros, na qual o quarteto leonino (Filipa Martins, Dorothe Évora, Noelie Yarigo, Cátia Azevedo) não deu hipóteses, ganhando com mais de quatro segundos de vantagem. Foi a quinta vitória do dia, em 10 provas. Olímpia Barbosa ganhou nas barreiras (13,74); Evelise Veiga, com um novo recorde pessoal (por 7 cm) venceu o comprimento, conseguindo 6,54 (v:+1,0), com outros ensaios a 6,39 e 6,31, e subindo a segunda portuguesa de sempre, atrás da recordista Naide Gomes (7,12) e à frente de Teresa Carvalho(6,52); Irina Rodrigues ganhou o disco com 57,59; e Noelie Yarigo, atleta do Benim filiada em França, que foi a segunda estrangeira contratada pelo Sporting para esta competição, venceu os 800 m, que liderou desde início, em 2.04,65. Entretanto, Lorène Bazolo foi segunda nos 200 m, com 23,47, atrás da búlgara Ivet Lalova, do Enke; Svietlana Kudzelich foi segunda nos obstáculos; Catarina Ribeiro terceira nos 3000 m, tal como Sílvia Cruz no dardo.  E apenas Anabela Neto (5ª na altura com 1,76) terá ficado aquém das expetativas.

Ao invés, o Enke, com uma equipa muito desigual (entre as estrangeiras e naturalizadas e as turcas de nascença…), ficou em três das provas em sexto (dardo e barreiras) e sétimo lugar (disco) e acabou por descer para o segundo posto coletivo. Superioridade inquestionável do Sporting, que ganhou mesmo sem pontuar nos 4×100 metros! O Valência fechou o pódio, a seis pontos do Sporting.

Benfica é segundo

No setor masculino, o Benfica começou bem a segunda jornada e parecia a caminho da vitória. Abriu com um recorde pessoal de António Vital Silva no martelo, prova na qual foi 3º com 73,26, quase dois metros mais que a sua anterior melhor marca pessoal (71,48). A seguir, o cabo-verdiano João Oliveira ganhou a sua série de 110 m barreiras, com 14,04 (v:-1,1) desequilibrando-se nos metros finais e cortando a meta em “voo”. Mas na primeira série o britânico Jake Porter havia feito menos dois centésimos. E Diogo Ferreira dominou por completo o salto com vara, que ganhou com excelentes 5,55, mais 55 cm que o segundo, tal como Pedro Pichardo, que se limitou a dois ensaios, venceu o triplo com 17,30, quase um metro (91 cm!) mais que o segundo! Entretanto, Samuel Barata (3º nos 5000 m, com 14.13,46) cumpriu, a seguir a dois africanos. E o mesmo se dirá de Hugo Rocha, que substituiu os lesionados Marcin Lewandowski e Emanuel Rolim, e foi terceiro nos 1500 m, com um recorde pessoal de 3.43,79. Mas, entretanto, Frederico Curvelo, apesar do recorde pessoal nos 200 m (21,28), foi quarto, perdendo dois pontos face ao atleta turco, e Tsanko Arnaudov (19,87) foi derrotado por outro turco, vencedor do peso com 19,99. E o Benfica, que entrou em desvantagem (de 3,5 pontos) na estafeta de 4×400 m, acabou por estar sempre longe da liderança da prova e acabou apenas quarto. No final, o título ficou a 4,5 pontos…

Turcos e «turcos»

Terminada a competição, é altura para as contas finais a propósito das nacionalidades dos elementos das equipas turcas do Enke. No setor masculino, dos 16 atletas que estiveram nas 18 provas individuais, havia dois estrangeiros (3 provas), seis naturalizados (7 provas) – ex-Cuba, ex-Jamaica (2) e ex-Quénia (3) -, e apenas oito turcos (8 provas), dois dos quais estiveram recentemente dois anos suspensos por doping.

No setor feminino, das 15 atletas que estiveram nas 18 provas, duas são estrangeiras (3 provas), uma búlgara e outra polaca -, três são naturalizadas (5 provas) – duas ex-Quénia e uma ex-África do Sul – e 10 são turcas de origem. A ex-sul-africana e duas das turcas estiveram recentemente suspensas (dois anos) por doping…

MASCULINOS
Provas Vencedores SL Benfica
200 m Leon Reid GBR 20,85 (-0,4) 4º Frederico Curvelo 21,28 (+0,1)
1500 m Ilham Ozbilen TUR 3.41,63 3º Hugo Rocha 3.43,79
5000 m Thierry Ndikumwenayo ESP 13.38,14 3º Samuel Barata 14.13,46
110 bar. Jake Porter GBR 14,02 (-0,2) 2º João Oliveira 14,04 (-1,1)
Vara Diogo Ferreira POR 5,55 (2º Rasmus Jorgensen DIN 5,00)
Triplo Pedro Pichardo POR 17,30 (+0,3) (2º Nekati Er TUR 16,39)
Peso Mesud Pezer TUR 19,99 2º Tsanko Arnaudov 19,87
Martelo Esref Apak TUR 73,50 3º António Vital Silva 73,26
4×400 m Birchfield H GBR 3.07,64 4º Benfica 3.10,12
Pontuação final: 1º Enke TUR 163,5; 2º Benfica POR 159; 3º Playas Castellón ESP 148,5; 4º Birchfield H. GBR 132 (10 equipas)
FEMININOS
Provas Vencedores Sporting CP
200m (+0,1) Ivet Lalova TUR 23,05 2ª Lorène Bazolo 23,47
800 m Noelie Yarigo POR 2.04,65 (2ª Sanne Verstigen HOL 2.04,92)
3000 m Yasemin Can TUR 8.57,23 3ª Catarina Ribeiro 9.22,22
3000 ob. Tugba Guvenc TUR 9.53,26 2ª Svietlana Kudzelich 10.00,05
100 b (-0,5) Olímpia Barbosa POR 13,74 (2ª Nicla Mosetti ITA 13,78)
Altura Marusa Cernjul SLO 1,79 5ª anabela Neto 1,76
Comp. Evelise Veiga POR 6,54 (+1,0) (2ª Fatima Dianne ESP 6,33)
Disco Irina Rodrigues POR 57,59 (2ª Lidia Aigustyniak ESP 56,85)
Dardo Martina Ratej SLO 64,26 3ª Sílvia Cruz 47,31
4×400 m Sporting CP POR 3.32,62 (2º Valência ESP 3.37,05)
Pontuação final: 1º Sporting POR 166; 2º Enke TUR 164; 3º Valencia Terra i Mar ESP 160; 4º Thames Valley GBR 124 (10 equipas).

Deixar Resposta