Sporting renova títulos nacionais juniores de pista coberta

1
772

O Sporting renovou este fim-de-semana, em Pombal, os títulos nacionais de juniores de pista coberta que havia conquistado há um ano. E, tal como então, com boa margem: somou 199 pontos no setor masculino, contra 184 do Benfica e 55 da Juventude Vidigalense; e 158 pontos no feminino, contra 141 do Benfica e 120,5 da J. Vidigalense.

A nível individual, os grandes destaques vão para Juliana Guerreiro e João Pedro Buaró. A atleta do Sporting bateu, na jornada de sábado, o recorde nacional júnior dos 400 metros, com 55,41, menos 30 centésimos (!) que Cátia Azevedo em 2013. Há uma semana havia ficado a dois centésimos do recorde. Muito bem esteve também a segunda, Ana Costa (Boavista), com 56,65. Ela tem como melhor 56,23, sendo a quarta júnior de sempre.

No setor masculino, João Pedro Buaró (GD Estreito) passou 5,00 no salto com vara, apenas a seis centímetros do recorde nacional de Ícaro Miranda. Buaró tinha 4,85 como melhor em pista coberta (já este ano) mas já tem 5,12 ao ar livre (em 2019), o que reforça a ideia de que o recorde de pista coberta está ao seu alcance.

Na jornada deste domingo, destaque para o benfiquista Sisínio Ambriz, que só não alcançou o recorde nacional de juvenis do triplo, com 14,43 pois a Federação admite recordes no final do ano e já na nova época, a atletas que sobem de escalão em… 1 de janeiro. E, assim, o recorde é de Júlio Almeida, com 14,84 em dezembro de 2017. Outro juvenil acima de 14 metros foi Simão Alexandre (AEA Cartaxo), que progrediu de 13,83 para 14,10 (6º juvenil de sempre).

Outro benfiquista, Etson Barros, foi categórico vencedor dos 3000 m em 8.26,78, título que juntou ao de 1500 m da véspera (3.55,00). Grande disputa nos 800 m, com David Garcia (Sporting), com muito bons 1.54,11, a ultrapassar na reta final, Pedro Vilas Boas (SC Braga), com 1.54,62. Recordes pessoais para ambos e ainda para Gabriel Ludwick (Benfica), vencedor da série anterior com 1.55,88.

Surpresa no salto em altura, com a vitória de Diogo Oliveira (Grecas) que progrediu de 2,00 para 2,03 e 2,07, derrotando Gonçalo Veloso (Benfica), que já tem 2,10 e passou agora 2,03, falhando os 2,07.

Vitória folgada de Pedro Matos (Sporting) nos 60 m barreiras, com um recorde pessoal de 8,21, à frente do ainda juvenil Diogo Barrigana (Benfica), com 8,30. Bom despique no peso entre André Carvalho (Sporting), vencedor com 15,10, e Alex Linenburg (GD Estreito), segundo com 15,02.

No setor feminino, a principal figura da 2ª jornada foi a sportinguista Débora Encarnação, vencedora do peso com quase dois metros de vantagem (!), com 13,78, marca que a coloca como 5ª júnior de sempre. A prova mais disputada foi a de 800 metros, com a sportinguista Rita Figueiredo (com recorde pessoal) e a benfiquista Camila Gomes empatadas ao milésimo (!), com 2.14,89, e a serem ambas consideradas campeãs nacionais; e Carla Rodrigues, Sporting (2.15,22), e Beatriz Pereira, Maia AC (2.15,81) bem próximas. Grande disputa ainda nos 60 m barreiras entre Maria Santos (CF Oliv. Douro) e Sara Moreira (Jardim da Serra), ambas com recordes pessoais: 8,87 e 8,88, respetivamente. E, na vara, duas atletas passaram 3,20: Carlota Gonçalves (U. Tomar) à primeira tentativa, igualando o seu recorde pessoal, e Sara Pereira (Jardim da Serra) à segunda, melhorando os 3,00 que tinha ao ar livre.

Uma curiosidade ainda: a campeã de 3000 m, Mariana Regalo (10.12,70), é filha do antigo atleta olímpico José Regalo. E todo o pódio foi conseguido por atletas do Maia AC.

A fechar o campeonato, as equipas do Sporting, com 3.25,35, e da Juventude Vidigalense, com 3.57,90, foram folgadas campeãs de 4×400 metros.

Na jornada de sábado, para além de João Pedro Buaró, destaque para Pedro Dias, vencedor dos 5000 m marcha com mais de 37 segundos de vantagem, em 21.41,35; e Leandro Fevereiro (Sporting), que ganhou os 400 m, com 49,44 (tem 48,90 como melhor, sendo o 7º júnior de sempre).

No setor feminino, e para além da nova recordista Juliana Guerreiro, destaque para as corredoras de 60 metros, prova na qual Maria João Barbosa (Sporting) melhorou o recorde pessoal de 7,62 (em 2019) para 7,59 (6ª júnior de sempre) e Daniela Amaro (GD Cavadas) de 7,65 para 7,63 (9ª de sempre). Grande progressão de Leonor Diogo (Sporting), de 5,41 para 5,78. Raquel Pimentel, vencedora dos 3000 m marcha em 14.07,07, progrediu 83 centésimos.

1 Comentário

Deixar Resposta