Surpreendente Ricardo Santos finalista com recorde

0
470

Há quatro anos, no Europeu de Zurique, Vítor Ricardo dos Santos, um quase desconhecido, fez sensação ao bater por duas vezes o recorde nacional de Carlos Silva, baixando pela primeira vez dos 46 segundos, com 45,81 na eliminatória e 45,74 na meia-final. Por muito pouco não esteve na final, sendo o melhor dos eliminados. Depois de três anos sem voltar a esse nível, o atleta do Benfica que vive em Inglaterra voltou a fazer sensação num Europeu, melhorando esses recordes para 45,55 na eliminatória e… 45,14 na meia-final (60 centésimos de progressão!) e apurando-se para a final. Foi 3º na sua série, a mais rápida das três (Matthew Hudson Smith GBR 44,76, Jonathan Borlée BEL 44,87), com o 7º tempo no conjunto, o segundo dos dois apurados por tempos. Teremos novo recorde na final de sexta-feira?

De manhã, também nos 400 metros, Cátia Azevedo havia estado em grande plano, ao ser segunda na sua eliminatória com 51,84, a segunda marca nacional de sempre, a seguir ao seu recorde nacional de 51,63, em 2016, e melhor que os 51,90 conseguidos em 2017, num e outro caso em Madrid. O seu tempo foi o quarto entre as 32 concorrentes. O melhor pertenceu à britânica Laviai Nielsen, com 51,67.

No triplo, Susana Costa esteve bastante bem, com a sua melhor marca da época, de 14,17 (v:-1,5), a 10ª entre as 29 concorrentes e qualificando-se diretamente para a final (houve, aliás, nada menos de 12 atletas a fazer mais de 14,05). Patrícia Mamona ficou aquém dos 14 metros, com 13,92 (v:+0,3), classificando-se em 16º lugar e ficando fora da final, e Lecabela Quaresrma, com 13,87 (v:0,0), ficou a três centímetros do seu recorde pessoal e foi a 19ª. A melhor marca da qualificação pertenceu à grega Paraskevi Papahristou, com 14,49 no seu único ensaio e com vento a -3,0 m/s.

Desilusão nos 10.000 metros, com as desistências de Sara Moreira (aos 6.100 m, quando era sexta) e Inês Henriques (aos 5.200 m, já 20ª). Catarina Ribeiro foi a única a terminar, na 10ª posição, com 32.53,71. A prova foi ganha (de forma inesperada) pela israelita (ex-queniana) Lonah Chemtal Salpeter, em 31.43,29, e a primeira europeia de origem foi a holandesa Susan Krumins, 2ª classificada com 31.52,55. Concluíram a prova 18 atletas, desistindo oito.

Nas outras finais, há a realçar mais um êxito polaco nos lançamentos, desta vez no peso feminino, com Paulina Guba a surpreender no último ensaio (19,33) a alemã Christina Schwanitz, que liderava com 19,19 desde o primeiro lançamento.

Já no disco masculino, o lituano Andrius Gudzius, que havia sido campeão mundial em 2017 com 2 cm mais que o sueco Daniel Stahl, voltou agora a ganhar-lhe, mas por 23 cm (68,46-68,23)… no último ensaio. O alemão Robert Harting, campeão olímpico em 2012 (em 2016 sucedeu-lhe o irmão, agora com três nulos na qualificação), três vezes campeão mundial (entre 2009 e 2013) e duas vezes campeão europeu (2012 e 2014), foi agora apenas sexto.

Fraco nível no comprimento, com apenas cinco atletas acima dos oito metros e vitória, com 8,25, para o grego Miltíadis Tentóglou, de apenas 20 anos, já campeão europeu júnior (em 2017) e vice-campeão mundial júnior (2016).

Finalmente, no decatlo, marcado pelos três nulos do campeão mundial Kevin Mayer no comprimento, a vitória acabou por ir para o alemão Arthur Abele, vice-campeão europeu júnior em 2005 e de pista coberta em 2015 e que agora se sagrou campeão europeu com 8431 pontos, contra 8321 do russo Ilyia Shkurenyov.

Cinco portugueses no 4º dia

No 4º dia do Europeu, esta quinta-feira, as atenções estarão em Lecabela Quaresma, que iniciará o heptatlo, em Cátia Azevedo, nas meias-finais de 400 m, e em Irina Rodrigues e Liliana Cá, com boas hipóteses de passarem à final do disco. E haverá ainda Evelise Veiga na qualificação do comprimento, tentando um recorde pessoal.

8.30h/10.00h – qual. disco (F): Liliana Cá no grupo A e Irina Rodrigues no B possuem as 7ª (61,02) e 5ª (62,37) marcas do ano, respetivamente, entre as 29 concorrentes. Passará à final quem fizer melhor que 58,50 ou as 12 primeiras.

9.00 h – heptatlo (F): início do heptatlo, com 29 atletas e Lecabela Quaresma na 3ª série de 100 m barreiras. Fará depois altura (10.15 h), peso (18.15 h) e 200 m (19.30 h).

9.30 h – qual. comprimento (F): entre as 27 atletas, está Evelise Veiga (no grupo B) cujos 6,61 desta época são a 22ª marca de entre as inscritas. Passarão à final aquelas que fizerem melhor que 6,67 ou as 12 primeiras.

18.50 h – meias-finais de 400 m (F): Cátia Azevedo irá na 1ª das três séries (24 atletas), detendo a 7ª marca do ano (51,84) entre as oito concorrentes. Apurar-se-ão para a final as duas primeiras de cada série e mais duas por tempos.

AS FINAIS DO DIA

9.00 h – heptatlo (início)

18.20 h – vara (F)

19.15 h – 400 m barreiras (M)

19.22 h – dardo (M)

20.05 h – 200 m (M)

20.20 h – 3000 m obstáculos (M)

20.50 h – 100 m barreiras (F)

Deixar Resposta