Tendinites no tornozelo: as mais comuns, as suas causas e os tratamentos

0
297

Vários tendões saem da perna, passam pelo tornozelo e chegam até o pé. Eles são como cordas, que ligam o ventre muscular ao osso, ajudando nos movimentos. Se há alguma sobrecarga, causada por stresse repetitivo ou um acidente, alguns desses tendões podem inflamar, o que culmina nas chamadas tendinites ou tendinopatias.

Conheça as mais comuns e suas principais causas:

– Tendinopatia dos fibulares Temos no corpo dois músculos fibulares: o fibular curto e o fibular longo. A tendinopatia nesses músculos costuma gerar dor atrás da saliência óssea da lateral do tornozelo (o maléolo lateral), e costumar ocorrer após um acidente de entorse (“torção” do tornozelo). – Tendinopatia do tibial posterior O tornozelo possui também uma saliência óssea na sua parte interna, o maléolo medial. Atrás de tal estrutura, passa um músculo muito importante para a corrida, chamado tibial posterior. Esse músculo é um dos responsáveis pela formação do arco interno do pé e pela estabilidade do tornozelo. Pessoas com o pé chato ou com o tornozelo instável podem desenvolver inflamação no tendão desse músculo após atividade repetitivas, como a corrida e a caminhada. – Tendinopatia do tendão de Aquiles Esse é o tendão do músculo do gémeo e a sua lesão é muito comum nos corredores. Ela acontece normalmente devido à falta de força e alongamento da musculatura, aumento brusco de volume de treino e biomecânica da corrida inadequada. – Tendinopatia do tibial anterior O tibial anterior é o músculo que dobra o pé para cima (dorsiflexão). Ao fazer esse movimento, o seu tendão fica bem saltado e evidente, sendo possível identificá-lo com certa facilidade. Uma inflamação nessa área é mais rara, mas pode acontecer se esse músculo é mais exigido do que o normal (volume de atividade excessivo e movimento inadequado do pé) ou se há alguma limitação articular no tornozelo.

Tratamentos

foto-tendinites-no-tornozelo O tratamento fisioterapêutico dessas tendinopatias é focado no controle da lesão tecidual, com equipamentos como laser e ultrassom, e no cuidado da causa mecânica do problema, reduzindo a sobrecarga sobre a região.

 

Deixar Resposta