Testes no fim de semana passado em Viena para o desafio sub-2h de Kipchoge

0
790

Após a escolha de Viena como sede do desafio Ineos 1:59, a cidade foi palco de um fim de semana de testes no percurso. Sem a presença de Eliud Kipchoge, a organização do evento fez uma espécie de simulação do dia em que o queniano tentará correr a maratona abaixo das duas horas.

A equipa do Ineos 1:59 realizou testes nas instalações para os atletas, no ritmo das “lebres”, no sistema de cronometragem e até na transmissão televisiva. Tudo para que no dia em que Kipchoge tentar estabelecer a marca histórica, não haja problemas.

Essa será a segunda tentativa do atleta queniano de correr a distância da maratona abaixo de duas horas, feito nunca alcançado.

A primeira foi no Breaking2, evento idealizado pela Nike com o mesmo objetivo. No Autódromo de Monza, na Itália, Kipchoge ficou a 26 segundos ao correr os 42,195 km em 2h00m25s.

Cerca de 150 pessoas fazem parte do grupo, desde as equipas que cuidarão da organização, até às “lebres” que correrão à frente de Kipchoge para marcar o ritmo e quebrar a resistência do vento.

Entre eles, estão nomes como o americano Bernard Lagat, o australiano Jack Rayner e Brett Robinson, os irmãos noruegueses Ingebrigtsen, além do campeão dos Jogos do Commonwealth de 5.000 m, Augustine Choge.

“Reunir tantos atletas de classe mundial para um fim de semana de testes, foi muito especial. Todas as “lebres”envolvidas no desafio que vieram a Viena neste fim de semana, e aqueles que não puderam participar, estão muito animados e honrados por fazer parte deste desafio e pela oportunidade de apoiar Eliud em Outubro para tentar fazer história”, comentou o gerente de atletas da Global Sports Communication, Valentijn Trouw.

A nova tentativa de Eliud Kipchoge de derrubar a barreira das duas horas na maratona ocorrerá no parque The Prater, em quatro voltas a um circuito de 9,6 km, além de uma reta de 4,3 km. Para que o evento seja feito em condições climatéricas perfeitas, há uma janela de realização entre 12 e 20 de Outubro.

“Sinto que uma percentagem tão grande da comunidade global de atletismo é tão positiva quanto ao que estou tentando alcançar e isso é um ótimo sentimento. A minha esperança é que eles possam testemunhar a história sendo feita e que eu possa ajudar a inspirá-los, afirmou Kipchoge.

Também recordista mundial da maratona, o atleta não participou dos testes em Viena. Ele ficou no Quénia, dando prosseguimento à sua preparação. “Nesta fase da minha preparação, é importante que o corpo responda positivamente e fico feliz em informar que esse, é definitivamente o caso”, disse.

Como é do conhecimento geral, caso Kipchoge atinja o objetivo de correr abaixo das duas horas, a IAAF não reconhecerá o recorde, dadas as condições em que se disputa a prova.

Deixar Resposta