Vara: Nuno Fernandes nº 1 antes de Edi Maia e Diogo Ferreira

0
2462

nuno_fernandes_YTMulti-recordista nacional entre 1992 e 1996, passando o recorde de 5,21 (Pedro Palma) para 5,66 (45 centímetros!), Nuno Fernandes pode considerar-se (para já) a grande figura da história da vara. Três vezes olímpico, com presenças em quatro Mundiais e cinco Europeus (ar livre e pista coberta), duas vezes campeão ibero-americano, medalha de bronze nas Universíadas, juntou aos 10 recordes nacionais de ar livre mais 13 em pista coberta.

Só 17 anos depois, o seu recorde cairia, por Edi Maia, que depois dos 5,67 de 2013 melhorou para 5,70, em 2013 e 2014 (neste caso em pista coberta). Edi Maia, 8º no Europeu de 2014, foi, até agora, o único português no top’10 europeu do ano, com os seus 5,70 de 2013. Em 2017, Diogo Ferreira melhorou o recorde nacional para 5,71, antes de se sagrar campeão mundial universitário. Ele e Nuno Fernandes foram os únicos portugueses a ganhar na Taça da Europa/Europeu de Seleções (I Liga).

Mas a história da especialidade tem outros nomes, desde os velhos tempos das varas rígidas e da areia na caixa de saltos. Em 1938, Álvaro Martins Vieira foi o primeiro a passar 3,50, elevando depois o recorde até aos 3,70. Dois anos depois, Fernando Boaventura melhorou para 3,70, recorde que se manteve ao longo de 20 anos! Em 1960, António Silva conseguiu finalmente 4,72 mas, mês e meio depois, Manuel dos Santos batia o primeiro dos seus nove recordes, entre 3,75 em 1960 e 4,20 em 1967, tendo sido o primeiro a passar 4,00, em 1960, já com uma vara fibra de vidro. Pelo meio, José Henriques ainda deteve o recorde durante quase um ano, graças aos 4,10 conseguidos em 1966.

Depois, foi o período de domínio de Raposo Borges (de 4,21 em 1969 a 4,49 em 1971), Joaquim Serra (4,55 em 1972 a 4,90 em 1974), novamente Raposo Borges (4,95 e 5,00 em 1976), Joaquim Serra (5,02 em 1977) e Raposo Borges (5,05 e 5,10 em 1979). Em 10 anos, o recorde subiu 90 centímetros!

Entre Raposo Borges e Nuno Fernandes, brilhou Pedro Palma, com cinco recordes, de 5,11 em 1987 a 5,21 em 1991. “Tapado” por Nuno Fernandes, João André também brilhou (5,60 duas vezes como melhor) e sete títulos nacionais consecutivos, entre 1999 e 2006, logo a seguir aos sete conseguidos por Nuno Fernandes, entre 1992 e 1998. Antes deles, dois outros atletas haviam chegado aos sete títulos nacionais, mas não seguidos: João Montalvão, entre 1944 e 1953, e Raposo Borges, entre 1969 e 1979. Nuno Fernandes é o mais internacional (24 vezes), seguido de Manuel dos Santos (19).

Nos escalões jovens, destaque para os irmãos Rúben Miranda, recordista nacional júnior e juvenil, e Ícaro Miranda, recordista sub’23 e 7º no Europeu de juniores de 2013. Têm como melhor 5,46 (Ícaro) e 5,45 (Rúben).

  RECORDES NACIONAIS  
  Absolutos Diogo Ferreira SL Benfica 5,71 2017  
  Sub’23 Ícaro Miranda SL Benfica 5,46 2016  
  Juniores Rúben Miranda SL Benfica 5,20 2011/2012  
  Juvenis Rúben Miranda SL Benfica 5,00 2010  
  Iniciados Mauro Damião SL Benfica 4,3 1997  
  Infantis Jaime Areias CF Belenenses 2,85 1997  
  OS + CAMPEÕES DE PORTUGAL  
  João Montalvão 7 (1944-1953)  
  Raposo Borges 7 (1969-1979)  
  Nuno Fernandes 7 (1992-1998)  
  João André 7 (1999-2006)  
  OS + INTERNACIONAIS  
  Nuno Fernandes 24 (1989-2001)  
  Manuel dos Santos 19 (1959-1968)  
  Fernando Marques 15 (1956-1963)  
  Raposo Borges 14 (1969-1979)  
  RECORDES DOS CAMPEONATOS NACIONAIS  
  Absolutos Diogo Ferreira SL Benfica 5,67 2014  
  Sub’23 Rúben Miranda SL Benfica 5,35 2013  
  Juniores Valdemar Santo SL Benfica 4,90 1991  
  Rúben Miranda SL Benfica 4,90 2012  
  Juvenis Mauro Damião SL Benfica 4,50 1999  
PRINCIPAIS CLASSIFICAÇÕES NAS GRANDES COMPETIÇÕES  
JO 4 18º Nuno Fernandes 5,60 Atlanta 1996
CM 5 21º Nuno Fernandes 5,40 Gotemburgo 1995
      Edi Maia 5,40 Moscovo 2013
CE 8 Edi Maia 5,60 Zurique 2014
  Nota: a seguir à competição (J. Olímpicos, C. Mundo, C. Europa), indica-se o número de atletas portugueses presentes no conjunto de todas as edições, as classificações no top’16 (JO. CM) ou top’8 (CE), os melhores tempos nacionais na prova e os locais e anos dessas classificações.

PORTUGUESES NA TAÇA DA EUROPA/EUROPEU DE SELEÇÕES

 
  Mais presenças:  
  Nuno Fernandes 8 (1993-2001)  
  Edi Maia 7 (2008-2015)  
  João André 6 (2000-2007)  
  Melhor marca: Nuno Fernandes 5,65 (1996)  
  Melhores classificações:  
  Na Superliga: 9º Edi Maia 2011  
  Na I Liga 1º Nuno Fernandes 1995-1996  
  1º Diogo Ferreira 2017  
  PORTUGUESES NOUTRAS COMPETIÇÕES  
  Campeonato da Europa de Sub’23:  
  16º Diogo Ferreira 2011  
  Campeonato do Mundo de Juniores:  
  13º Rúben Miranda 2012  
  Campeonato da Europa de Juniores:  
  Ícaro Miranda 2013  
  FOJE (Festival Olímpico da Juventude Europeia)  
  Jaime Areias 2001  
  Filipe Lara Ramos 1995  
  Jogos Mundiais Universitários/Universíadas  
  Diogo Ferreira 2017  
  Nuno Fernandes 1995  
  João André 2003  
  Nuno Fernandes 1995

Deixar Resposta