António Nobre contesta anúncio da atual Direção da Federação sobre Campeonato Europeu de Corta-Mato em 2019

0
2829

A Revista Atletismo recebeu um Comunicado oficial da candidatura de António Nobre sobre o anunciado Europeu de Corta-Mato de 2019 em Lisboa por parte da atual Direção da Federação.

António Nobre começa por contestar o comunicado emitido pela Federação em 29 Novembro e mostra o posterior descontentamento da Associação Europeia pelo mesmo.

“Dizia-se aí em título, sem margem para quaisquer dúvidas, “Europeu de Corta-Mato de 2019 em Lisboa” … acrescentando “esta atribuição a Lisboa vem na sequência da candidatura apresentada em Setembro de 2014 e será ratificada na reunião do Conselho da Associação Europeia de Atletismo de Abril de 2017“.

O comunicado critica a “ética e de respeito pelas instituições”. Em 2015, a FPA tinha demonstrado interesse em organizar o Europeu de 2019, conta António Nobre, por isso “surpreendeu-nos também que tenha sido dito nesse comunicado que foi apresentada candidatura em Setembro de 2014.”

Depois de contatar com a EA, o comunicado do candidato à Federação Portuguesa de Atletismo, conta que “caiu muito mal no Conselho da EA, que a FPA tenha anunciado algo que só irá ser decidido um ano mais tarde” visto que “decidimos perguntar a Christian Milz, CEO da EA, quando é que foi tomada a decisão de atribuição deste campeonato a Lisboa. Em resposta foi-nos dito que a decisão de atribuição só será tomada no Conselho da EA que se realiza em Novembro de 2017″.

O comunicado continua com a tentativa de esclarecimento da FPA: “Ontem, a atual Direção da FPA ao receber a resposta do CEO da EA, publicou um Esclarecimento querendo explicar o inexplicável. 

E, mais uma vez, explicou muito mal.  Afinal, agora diz que,  mostrou interesse em organizar o campeonato em 2015 (em 29 NOV tinha dito que apresentou candidatura em 2014) ….. e diz também que a decisão será tomada em NOV 2017 (em 29 NOV tinha assumido por inteiro a realização do campeonato em Lisboa com decisão já tomada e a ratificar em Abril de 2017). Pelos vistos, foi mais um LAPSO.”

O candidato à Federação explica o comunicado por considerar a situação “desrespeito por regras de conduta que se devem pautar por um estrito cumprimento da verdade, não podendo estar sujeito a tomadas de posição abusivas e lesivas dos interesses de outros.”

A terminar, António Nobre questionou a coincidência da data da apresentação pública da sua candidatura com o comunicado da Federação:

“Ou será que a atual Direção acha que os nossos associados não entenderiam, que este anúncio em 29 NOV 16, dia da apresentação pública da candidatura da Lista A, só pretendeu retirar impacto a essa mesma apresentação e foi meramente um anúncio com fins eleitoralistas ?  Pelos vistos não acha.”

 

Deixar Resposta