BALANÇO DA ÉPOCA 2017 – 100 METROS (M)

0
252

BALANÇO DA ÉPOCA 2017 – 100 METROS (M)

David Lima bate «sub-recorde» em ano de grandes progressos

  • Ele tornou-se o melhor velocista de sempre nascido em Portugal

Excelente o nível dos 100 metros nacionais em 2017, não só a nível de top – David Lima, com 10,05, tornou-se o mais rápido de sempre nascido em Portugal (o recordista Francis Obikwelu é de origem nigeriana) – como também no conjunto, com a média dos 10 primeiros a baixar para 10,395 (menos de 10,40!), um progresso de nada menos de quatro centésimos face ao melhor anterior (de 2014). Também a média dos 20 melhores, de 10,531, é a melhor de sempre (menos 7 milésimos e meio que em 2014 – não chega a um centésimo de segundo…).

O PÓDIO

DAVID LIMA (BENFICA)

Grandes progressos, de 10,29 em 2016 para 10,05, marca conseguida em Madrid e que o coloca como segundo português de sempre, à frente de Carlos Calado (10,11 em 1999). Quatro vezes fez melhor que o seu anterior recorde pessoal. Mas não esteve ao seu nível nos 100 m do Mundial (eliminado com 10,41).

DIOGO ANTUNES (BENFICA)

Progrediu de 10,29 para 10,27 em Salamanca, com 10,35 como segunda marca. É agora o 6º português de sempre. E foi campeão de Portugal (10,10 com vento), bem à frente de David Lima (10,23)…

CARLOS NASCIMENTO (SPORTING)

Com 10,38 (igualmente em Salamanca), ficou a cinco centésimos do seu recorde pessoal, em 2016. Também completou o pódio do Campeonato de Portugal (10,23 ventosos).

E AINDA…

Regresso (após um ano e meio sem competir) de Yazaldes Nascimento, ainda quarto do ano com 10,39. E três sub’23 em foco, todos eles semi-finalistas no Europeu da categoria: Ricardo Pereira melhorou de 10,45 para 10,41 (2ª marca a 10,48), Rafael Jorge de 10,62 para 10,41 (e 10,53) e José Pedro Lopes de 10,56 para 10,51, marca que fez duas vezes. Uma referência ainda para Francis Obikwelu, com 10,62 a caminho dos 39 anos, 14º do ranking mas ainda útil ao seu clube na estafeta.

A REVELAÇÃO: DORIAN KELETELE (SPORTING)

Não é (ainda) português, mas o júnior (de 1º ano) Dorian Keletele, congolês de nascimento, fez sensação no final da época, ao progredir de 10,72 (início de julho) para 10,71 (meados de julho) e 10,50 e 10,48 (final de julho). Promete… Nota ainda para os 10,60 de Wilson Pedro, júnior do CA Baixa da Banheira.

Deixar Resposta