BALANÇO DA ÉPOCA 2017 – ALTURA (M)

0
3779

Foto: Paulo Conceição em 2016

Paulo Conceição e várias ausências

  • Dos cinco atletas que superaram 2,11 em 2015, resta um…

O salto em altura parecia em grande progressão ainda há dois anos, com cinco atletas a 2,11 ou mais e uma série de jovens a prometerem. Agora, desses cinco, resta Paulo Conceição – que fez meia época ao seu nível – embora haja outros em progressão, ainda que distantes. Tiago Pereira (2,21 em 2015 e 2,20 em 2016) dedicou-se ao triplo (2,05 numa das raras aparições); Victor Korst (2,20 em 2015) continuou lesionado; Roman Guliy (ainda 2,12 em 2015) está com 38 anos (1,99); e Tiago Costa (2,11 em 2015) não competiu.

As médias dos 10 e 20 melhores, que chegaram a 2,11 e 2,05 em 2015, baixaram, entretanto, para 2,07 e 2,03, sendo pois mais notória a quebra entre os primeiros. O próprio Paulo Conceição (2,21 como melhor) ficou aquém dos 2,24 e duas vezes 2,23 da época passada…

O PÓDIO

1º PAULO CONCEIÇÃO (BENFICA)

Foram dele as dez melhores marcas da época, sete das quais em pista coberta (e três delas com 2,20). Conseguiu os 2,21 a 1 de maio, depois lesionou-se e ficou-se pelos 2,15 como melhor, no Europeu de Seleções (honroso 3º lugar), em junho, e 2,10 depois disso.

2º RAFAEL VILAS BOAS (SC BRAGA)

Com 2,02 como melhor, ainda júnior (2012 e 2013), “regressou” agora com surpreendentes 2,10 para ser campeão nacional sub’23, embora a sua segunda marca tenha sido “apenas” de 2,02.

3º TIAGO BOUCELA (GRECAS)

Embora ainda distante dos 2,12 de 2014, chegou a 2,09 no heptatlo do Campeonato de Portugal de pista coberta e teve mais três marcas entre 2,05 e 2,03.

E AINDA…

Francisco Barreto teve uma boa época de pista coberta, melhorando um centímetro para 2,07 (vice-campeão nacional e segundo na I Divisão) mas ficou-se pelos 2,02 ao ar livre; Filipe Guerreiro progrediu de 2,03 (2015) para 2,06 e sagrou-se campeão nacional sub’23 (2,01); Nelson Pinto (2,05 em 2016) foi o melhor júnior, mas com 2,03; e Pedro Pinheiro surpreendeu ao sagrar-se campeão de Portugal (com 2,02 foi o único acima de dois metros!) e de juniores (2,01).

A REVELAÇÃO: SIMÃO PEREIRA (GCA DONAS)

Com 1,94 como melhor em 2016, este atleta juvenil progrediu para 2,01 ganhando o Olímpico Jovem e mostrando-se bastante regular, com outra marca a 2,01 e mais duas a 2,00.

Veja aqui o ranking 2017

… e aqui o ranking mais aprofundado

 

Deixar Resposta