Balanço da época 2019 – Vara (M): Sub-Diogo Ferreira continua a liderar

0
833

Embora “apenas” com 5,50 em pista coberta e 5,40 ao ar livre, algo afastado das marcas de 2017 (5,71 – recorde nacional) e 2018 (5,66), Diogo Ferreira continuou a dominar a especialidade, face a um Edi Maia que parece em quebra e só competiu em pista coberta (5,40). Ícaro Miranda, igualmente com 5,40, foi quem mais perto esteve do seu melhor (5,46). A média dos 10 melhores (5,121) acabou por ficar a dois centímetros e meio do recorde de 2018 (5,146) mas, em profundidade, progrediu-se e o recorde do top’20 (4,776 em 2018) subiu 1,35 cm para quase 4,79 (4,7895).

PÓDIO:

1º DIOGO FERREIRA (BENFICA)

Campeão nacional de pista coberta com 5,50 e vencedor da I Divisão com 5,45 (as duas melhores marcas da época), teve depois problemas físicos e competiu pouco ao ar livre, só no final da época chegando a 5,40. Foi campeão de Portugal mas apenas com 4,95. Foi 4º no Europeu de Seleções, com 5,26.

2º EDI MAIA (SPORTING)

Época modesta, longe dos 5,70 (ex-recorde nacional) em 2013 e 2014 e dos 5,60 da época passada. Conseguiu 5,40 sendo 2º no Campeonato de Portugal de pista coberta, mas a segunda marca foi de apenas 5,25, longe do que vale. E não competiu ao ar livre.

3º ÍCARO MIRANDA (BENFICA)

Conseguiu 5,40 em pista coberta, perto do recorde pessoal de 5,46 em 2016 e dos 5,45 de 2013 e 2014, mas as suas marcas seguintes (5,26 e 5,25) ficaram longe.

E AINDA…

Ruben Miranda (5,46 em 2018) competiu pouco e esteve longe do que vale, com 5,20 como melhor. João Pedro Buaró, a revelação de 2018, ainda juvenil (progrediu então de 4,26 para 4,95), voltou a melhorar para 5,12, com mais duas marcas a 5,00 e os títulos nacionais de sub’23 (4,90 ao ar livre e 4,76 em pista coberta) e juniores (4,61 e 4,55). Progressos conseguiram ainda os sub’23 Rui Marques (4,85-4,90), Gonçalo Uva, vice-campeão de Portugal (4,70-4,76), e Manuel Dias (4,60-4,64) e os juniores Carlos Pitra (4,50-4,90) e Edgar Campré (4,30-4,52).

A REVELAÇÃO: CARLOS PITRA (SPORTING)

Ainda júnior, progrediu 40 cm até 4,90, passando pelos 4,55 e 4,60 em pista coberta e 4,72 ao ar livre. Foi vice-campeão nacional júnior (pista coberta e ar livre) e terceiro no Campeonato de Portugal.

Ranking da época em http://atletismo-estatistica.pt/

 

Deixar Resposta