Campeão olímpico Wilfred Bungei bebia um litro de vodka por dia depois de abandonar a alta competição

0
182

Wilfred Bungei, campeão olímpico em Pequim 2008, medalha de prata no Mundiais de Edmonton 2001, campeão mundial de pista coberta na Rússia 2006, foi um grande especialista dos 800 metros na primeira metade do século. Nascido no Quénia em 1980, acumulou triunfos nos grandes meetings mundiais mas após a sua retirada em 2010, caiu num período obscuro que levou anos a sair. A “culpa” foi do álcool.

“Não celebro o dia dos meus anos mas sim o dia em deixei de beber”, disse a uma entrevista à BBC Sports Africa. “Faz-me sentir orgulhoso. Faz-me sentir que tenho de novo o controlo da minha vida”, acrescentou.

Bungei foi ao fundo no dia em que nasceu o seu terceiro filho. Não tinha podido estar presente nos dois outros nascimentos por motivos profissionais mas desta vez, estava disponível. Convenceu-se então de que um trago de Vodka ia ajudá-lo a gerir melhor a situação que ia presenciar. Acabou por beber um litro!

“Não sei o que se passou, a única coisa que sei é que acabei na valeta. As pessoas pensaram que eu havia morrido”.

Este foi o episódio mais grave de uma larga lista de comportamentos erráticos que levaram os filhos a terem medo dele. “Cada vez que bebia uma garrafa ou duas, não queriam andar de carro comigo e isso afetou-me”. Em 2012, dois anos depois em que bebia um litro de vodka por dia, em que chegou a ter alucinações e a necessitar urgentemente de ajuda, decidiu entrar num processo de reabilitação. Seis semanas depois, estava limpo e não tinha voltado a beber um trago de álcool desde então.

Para Bungei, a caída dele no álcool teve a ver com a dificuldade em ocupar o tempo livre depois de se haver retirado da alta competição. “Quando era atleta, tinha uns 20 dias de férias por ano e isso durou uns 13 ou 14 anos. Assim que me retirei, não tinha muito que fazer”.

Bungei não foi o último que entrou numa espiral destrutiva. Segundo a BBC, começa-se a falar no Quénia de certos problemas de alcoolismo nalguns dos melhores atletas. Em 2011, Sammy Wanjiru, o primeiro queniano a ganhar uma medalha olímpica na maratona (2008) para o seu país, caiu da varanda da sua casa em Nyahururu. A autópsia revelou que o seu organismo albergava importantes quantidades de álcool no momento da queda.

Deixar Resposta