Cuidados a ter com a Hipotermia

0
159

Quando falamos da diminuição da temperatura classificada como normal para o corpo, trata-se de hipotermia, que é em torno de 37,5 °C e neste caso, passa a ficar abaixo de 35°C. A atenção aos sintomas é realmente importante, pois uma das complicações é justamente o óbito.

A temperatura constante ocorre por conta da termorregulação, que consiste em sistemas que regulam a temperatura corporal. Quando há um desequilíbrio deste sistema por fatores como a hipotermia, a capacidade de regulação térmica é comprometida e apesar dos esforços do corpo para manter a parte central, com os órgãos vitais devidamente aquecidos, ele vai perdendo energia.

  • Tipos de hipotermia

Além das etapas da hipotermia, também existem diferentes tipos, que se distinguem basicamente pela forma como ocorre a queda da temperatura corporal. São elas a subaguda, aguda e crónica. Eis as suas características, incluindo a forma como se desenvolvem:

  • Hipotermia Subaguda:o corpo vai passando gradualmente para uma temperatura mais baixa, podendo ocorrer principalmente quando a pessoa permanece em ambientes frios durante um certo período;
  • Hipotermia Aguda:diferente da subaguda, é classificado como a que apresenta o maior perigo, onde surge uma queda brusca de temperatura corpórea. É o caso por exemplo, quando a pessoa cai em água muito gelada.
  • Hipotermia Crónica:este tipo de hipotermia pode ser originada por alguma enfermidade devido ao seu agravamento em climas mais frios.

2) Quais são as fases

É interessante notar que não existe apenas uma fase da hipotermia, já que ela pode ocorrer com variação na intensidade, diferenciando também o grau de gravidade. Veja a seguir quais são e os seus principais sintomas:

  • Hipotermia leve:ocorre quando a temperatura cai cerca de dois graus, ficando entre 32 a 35°C. Nesta situação, os sintomas são tremores e pode ocorrer algum tipo de dormência em algum membro;
  • Hipotermia moderada:neste caso, a temperatura corpórea passa a ficar entre 28 a 32°C. Os sintomas na hipotermia moderada, são geralmente a diminuição dos tremores, sonolência e o início de confusão mental, podendo ocorrer alucinações e letargia, que é caracterizada pela incapacidade de consciência e reação;
  • Hipotermia grave: caracteriza-se hipotermia grave quando a temperatura do corpo está abaixo de 28°C. Nesta fase, pode ocorrer a perda da consciência, dilatação das pupilas, diminuição da respiração e pode até mesmo entrar em estado de coma.

3) A hipotermia utilizada na medicina

A hipotermia é usada no tratamento de recém-nascidos com encefalopatia hipóxico-isquémica, contribuindo para a diminuição de 19% o risco de óbito, além da capacidade de aumentar a sobrevivência sem paralisia cerebral em 53%.

Por outro lado, ela também pode ser utilizada em casos distintos, como no decorrer de cirurgias neurológicas de grande complexidade, no tratamento de hipertensão intracraniana refratária e proteção neurológica pós-ressuscitação cardiopulmonar.

4) Existe tratamento?

Para um tratamento adequado, o médico analisará os sintomas, incluindo a temperatura do corpo e qual é o estado do paciente. Algumas das técnicas são externas como o uso de mantas térmicas, fluídos quentes e ar aquecido, especialmente no caso de hipotermias mais leves.

No entanto, no caso de hipotermia grave, as mais usadas são as internas onde são necessárias, lavagens pleural, peritoneal e gástrica, entre outros procedimentos como o reaquecimento do corpo através de máscaras.

Caso seja possível, deve remover-se a pessoa do ambiente de clima frio e ter cuidado em não dar bebidas muito quentes, pois pode causar um choque térmico. Além disso, o reaquecimento rápido também pode ser danoso, uma vez que pode resultar em arritmia cardíaca ou choques térmicos.

Quando não ocorre sinal de vida, a ressuscitação cardiopulmonar, também conhecida como RCP, é normalmente uma das técnicas aplicadas. No entanto e infelizmente, nem sempre as técnicas de ressuscitação funcionam em casos em que a pessoa passou por uma hipotermia grave e não teve os cuidados necessários o quanto antes.

Lembre-se sempre da importância de contar com uma equipe médica preparada para cuidar do tratamento adequado para a pessoa que apresenta um dos quadros de hipotermia. Afinal, podem ser fatais a falta de precisão e os erros provocados por impulsos ao tentar aquecer a pessoa a qualquer custo.

5) Como funciona a prevenção

Naturalmente, a principal forma de prevenção é usar roupas adequadas ao estar em ambientes frios, pois muitas vezes, o isolamento que a roupa proporciona não é o suficiente para proteger as pessoas do frio. Além disso, caso esteja com roupas molhadas devido a chuvas ou outros casos, procure trocar imediatamente para que não ocorra a queda da temperatura interna.

6) Existem complicações?

Se não ocorrer o tratamento adequado no caso de hipotermia, especialmente os mais rigorosos, além do óbito e do coma, podem ocorrer outras complicações:

  • Danos nos vasos sanguíneos;
  • Morte dos tecidos;
  • Arritmias cardíacas;
  • Edema de pulmão;
  • Paragem cardíaca ou respiratória.

7) Algumas curiosidades

Consumo de álcool para aquecer: Algumas pessoas acreditam que o álcool seja capaz de aumentar a temperatura corporal, mas isso não é verdade. Ocorre a vasodilatação no corpo e com isso, o aumento do fluxo sanguíneo. Mas não se deixe enganar, a sensação pode passar rapidamente e sem dúvida, não é algo indicado em casos de hipotermia.

Tremores: os tremores geralmente são causados devido aos esforços do corpo para gerar energia e manter uma boa temperatura interna.

Alguns acreditam que é possível perder à volta de 40% de calor pela cabeça, mas isso não é verdade. No entanto, as partes do corpo mais sensíveis às mudanças de temperatura são a cabeça, mãos e pés. O motivo é que são áreas com uma vascularização periférica muito mais rica.

Os bebés também podem ter hipotermia e é fundamental procurar um serviço médico com urgência. Nestes casos, os sintomas podem ser pele fria, apatia, recusar-se a mamar, moleza e o aumento ou até mesmo diminuição da frequência cardíaca. Lembre-se que a perda de calor em bebés ocorre com mais facilidade. Por isso, deve ser redobrada a atenção em mantê-los devidamente aquecidos.

Como citado anteriormente, além de não procurar aquecer rapidamente a pessoa que está com sintomas de hipotermia, é importante lembrar que massajar também não é uma boa opção, pois pode levar a complicações mais graves pelo stresse causado em órgãos vitais como o coração e os pulmões.

Deixar Resposta