Deficientes Intelectuais brilharam num «mini»-Mundial

0
715

Portugal brilhou no Campeonato do Mundo Virtus (World Intelectual Imparment Sport – Campeonato do Mundo para deficientes intelectuais), em Torun, na Polónia, ao conquistar nada menos de 19 medalhas (7 de ouro, 7 de prata e 5 de bronze) e ao classificar-se em 1º lugar na pontuação masculina.

O facto de apenas quatro dias depois do fecho dos campeonatos, a organização polaca ter publicado os resultados completos leva a que só agora façamos um breve balanço, “explicando” a proeza portuguesa, acima de todas as expetativas. Os atletas deficientes nacionais há muito que vêm brilhando a nível internacional (Lenine Cunha é o expoente) fruto de um (justo) apoio que vêm tendo e que certamente ultrapassa o da generalidade dos países. Portugal tem normalmente das maiores representações em Mundiais e Europeus.

Desta vez, em virtude do coronavírus, foi ainda mais magra a representação internacional. Não considerando o país organizador, que apresentou 19 atletas, apenas a França, com 17 representantes, teve mais presenças que Portugal (12). Seguiram-se Ucrânia (10), Turquia (10) e Espanha (9). Para além destes apenas seis países europeus (incluindo Polónia), só estiveram representados Noruega (1 apenas) e, fora da Europa, China (2) e Cabo Verde (1 – Gracelino Barbosa, que reside em Portugal). Nas 24 provas nas quais Portugal esteve representado, a média de participantes foi de apenas seis, entre um máximo de 11 nos 200 m (masc.) e um mínimo de dois nas provas de triplo (masc.) e marcha.

Entre os atletas portugueses, destaque para Sandro Baessa, com 50,19 aos 400 m, e Ana Filipe, com quatro medalhas (2 de ouro e 2 de prata) e 5,43 no comprimento e 11,83 no triplo como marcas mais relevantes. Lenine Cunha, já veterano, somou mais quatro medalhas ao seu valioso palmarés.

Eis a lista dos medalhados portugueses, assinalando-se na última coluna o número de concorrentes à respetiva prova.

AS MEDALHAS PORTUGUESAS

Ouro (7):

400 m (M)                Sandro Baessa                    50,19        (10)

800 m (M)                Sandro Baessa                    1.58,39       (5)

Triplo (M)                 Lenine Cunha                      12,62          (2)

Pentatlo (M)             Lenine Cunha                      2604           (4)

3000 m M (M)          Afonso Roll                          14.51,81     (2)

Altura (F)                 Ana Filipe                           1,57            (3)

Triplo (F)                  Ana Filipe                           11,83          (3)

 

Prata (7):

1500 m (M)              Cristiano Pereira                4.07,31       (10)

3000 m (M)              Cristiano Pereira                8.48,24       (10)

Comp. (M)               Lenine Cunha                     6,03            (6)

4×400 m (M)            Seleção Nacional                3.34,36       (4)

60 bar. (F)                Ana Filipe                          10,24          (4)

Comp. (F)                 Ana Filipe                          5,43            (4)

3000 m M (F)           Joana Silva                         18.16,91     (2)

Bronze (5):

400 m (M)                Carlos Freitas                     52,28       (10)

Altura (M)                Lenine Cunha                    1,63            (4)

4×200 m (M)            Seleção Nacional               1.37,88       (4)

60 m (F)                   Cláudia Santos                 8,50            (6)

60 bar. (M)               Domingos Magalhães         9,22            (6)

O atleta cabo-verdiano Gracelino Barbosa, que compete em Portugal, conquistou medalhas de ouro nos 60 m (7,25) e 60 m barreiras (8,60) e de prata nos 200 m (22,93).

Deixar Resposta