Diogo Antunes (10,28) liderou êxito de velocistas em Salamanca

0
3222

Os velocistas nacionais – presentes em bom número – aproveitaram bem as excelentes condições da pista de Salamanca, conseguindo vários recordes pessoais, seis subidas ao top’20 nacional e sete mínimos para os Europeus jovens. Em grande destaque esteve Diogo Antunes, que progrediu dois centésimos para 10,27, sendo o quinto português de sempre. Mas grandes progressos conseguiram ainda Ricardo Pereira (10,57-10,41), Rafael Jorge (10,62-10,41 e 21,77-21,14), André Costa (21,42-21,10), Ricardo Ribeiro (21,39-21,16).

Vejamos:

LUGAR NOME CLUBE MARCA VT. REC.PES. RANK. MÍNIMOS
100 METROS            
Diogo Antunes SLB 10,27 +1,7 (10,29) 5º s.  
Carlos Nascimento SCP 10,38 +1,7 (10,33)    
Ricardo Pereira SLB 10,41 +1,7 (10,57) 17ºs m. s’23
Rafael Jorge SLB 10,41 +1,7 (10,62) 17ºs m. s’23
1º B André Costa SLB 10,51 +0.3 (10,48)    
2ºB José Pedro Lopes SLB 10,57 +0.3 (10,56)   ms’23
200 METROS    
1ºB André Costa SLB 21,10 +0,8 (21,42) 14ºs  
2ºB Rafael Jorge SLB 21,14 +0,8 (21,77) 15ºs m. s’23
3ºB Ricardo Ribeiro SCP 21,16 +0,8 (21,39) 17ºs m. s’23
2ºA Pedro Bernardo SLB 21,29 +2,4 (21,31)    
4ºB Mauro Pereira SLB 21,52 +0,8 (21,66pc)   m. jun.
1ºC Tiago Gonçalves CAS 21,66 +0,9 (21,97)   m. jun.

 

No setor feminino, Lorène Bazolo conseguiu melhores marcas nacionais do ano, embora ainda aquém do seu melhor da época passada: foi 2ª nos 100 m, com 11,37 (v:+0,5), a dois centésimos da venezuelana Nediam Vargas, e ganhou os 200 m com 23,38 (+1,1). Em foco, nos 100 m, com recordes pessoais, estiveram a brasileira (do Benfica) Adriana Alves, que progrediu de 12,18 para 11,78, e ainda Cátia Santos, que melhorou de 11,82 para 11,80, mínimo para o Europeu sub’23 e que a coloca como 12ª portuguesa de sempre.

Excelente Evelise Veiga

Velocidade à parte, o grande destaque vai para Evelise Veiga, 6ª no comprimento com 6,32 (vento nulo), marca que é mínimo para o Europeu sub’23 e a coloca como 8ª portuguesa de sempre.

De resto, e de entre as cerca de cinco dezenas de portugueses presentes, destaque para a folgada (87 cm) vitória de Marco Fortes no peso, com uns 18,44 m (depois de 18,37 no 5º ensaio) que indiciam melhoria de forma; para os 7,85 m (v:+1,5) de Marcos Chuva no comprimento, naquele que foi o seu único salto válido, sendo segundo atrás do espanhol Eusébio Cáceres, com 8,08 (v:+1,5); e para a melhor marca nacional do ano de Rasul Dabo, com 13,99 nos 110 m barreiras (v:+0,4).

Nas pouco concorridas provas de meio-fundo – as condições da pista, a 800 m de altitude, não favorecem… – triunfaram os portugueses Carla Mendes (2.10,33 nos 800 m) e Nuno Lopes (3.49,44 nos 1500 m).

Resultados completos em: http://www.atletismosalmantino.org/xxtiacsmcgp/

Entretanto, por cá, destaque para a melhor marca do ano conseguida por Tiago Aperta no dardo do Meeting de Santarém, com 72,51 m.

Deixar Resposta