Documentário da BBC acusa Mo Farah de ter mentido à Agência Antidopagem Norte-Americana

0
132

Mo Farah mudou de versão em poucos minutos após encontrar outro atleta britânico que tinha sido interrogado na véspera

Um documentário da BBC difundido na 2ª feira, revela que Mo Farah mentiu à Agência Antidopagem dos Estados Unidos em 2015, quando falou de injeções de complementos à base de L-carnitina, pouco antes da maratona de Londres 2014. Antes de reconsiderar e mudar de versão.

Num documentário que durou trinta minutos, o jornalista Mark Daly e a sua equipa do programa Panorama revelou novos dados acerca de Mo Farah e das já conhecidas injeções de L-carnitina.

Os repórteres conseguiram aceder aos relatórios das audições entre o atleta britânico e os oficiais da Agência Antidopagem dos Estados Unidos (USADA). A cena desenrola-se em 2015.

USADA: Se alguns afirmam que você recebeu injeções de L-carnitina, eles mentem?

Mo Farah: Eles não dizem a verdade a 100%. Eu nunca recebi injeções de L-carnitina.

USADA: Está seguro de que Alberto Salazar não vos recomendou tomar as injeções de L-carnitina?

Mo Farah: Não, eu nunca tomei injeções de L-carnitina.

USADA: Está absolutamente certo de que nenhum médico não lhe meteu uma agulha… no vosso braço… para injetar L-carnitina alguns dias antes da maratona de Londres?

Mo Farah: Não, nenhuma hipótese.

Mo Farah deixa de seguida a sala e encontra Barry Fudge, a referência de longa distância dos atletas britânicos. Este último diz-lhe que já foi interrogado na véspera pela USADA e que tinha mencionado as injeções de L-carnitina. Muito rapidamente, Farah reconsidera e regressa aos investigadores.

Mo Farah: Desculpem pessoal, eu quero que isto seja claro. Eu tomei o produto mas na época, eu pensava que não o havia tomado.

USADA: Portanto, você recebeu a L-carnitina… antes da maratona de Londres?

Farah: Sim… Houve muitas discussões antes… e Alberto (Salazar) perguntava constantemente: “Qual é a melhor coisa?”, “O que é o melhor (para os atletas)?”

O investigador pergunta então ao atleta porque é que ele mudou a sua versão. “Naquele momento, não me lembrava”, assegura Mo Farah.
O britânico ganhou quatro medalhas de ouro olímpicas entre 2011 e 2017, sendo então treinado por Alberto Salazar. Ele negou sempre ter recorrido a práticas interditas e nunca acusou um controlo positivo.
A L-carnitina é autorizada pela Agência Mundial Antidopagem (AMA), na condição das injeções por intravenoso respeitarem a dosagem de 50 ml por um período de seis horas.

Este aminoácido participa na produção de energia e no bom funcionamento do organismo. Se as doses não forem respeitadas, a L-carnitina terá, segundo diversos estudos, os mesmos efeitos que o doping sanguíneo.

A UKAD, Agência Antidopagem britânica, reagiu ontem ao documentário da BBC com um comunicado: “Nós ficaríamos felizes em poder examinar todos os dados que Panorama obteve no decorrer do seu inquérito. Se alguém possui informações suscetíveis de interessar a UKAD e aos seus inquéritos, convidamos a nos contatar”.

Por seu lado, Mo Farah recusou os pedidos de entrevistas solicitadas pela BBC.

Atualmente em estágio na Etiópia, o atleta britânico não se esqueceu de publicar ontem de manhã no Instagram uma foto do seu último controlo antidoping.

Deixar Resposta