Federação define orientações para a realização de provas fora dos estádios

0
1381

A Federação Portuguesa de Atletismo acaba de propor as orientações para o retorno às competições fora dos estádios de acordo com as orientações da Direção Geral da Saúde (DGS).

Trata-se de um documento que pretende servir de linha orientadora para todos os organizadores de provas – Associações Regionais e Distritais de Atletismo, clubes, empresas – de estrada, corta mato e trail e que foi elaborado com a participação da Associação de Trail Running de Portugal e de alguns dos principais organizadores de provas nacionais e seus representantes.

Ao viabilizar a realização de um evento, por este cumprir as diretrizes presentes neste documento, a FPA irá atribuir um selo de “Qualidade e Segurança”, ao qual será atribuído um número de registo consultável no site www.fpatletismo.pt, que pode ser utilizado pelo organizador nos seus canais de comunicação, permitindo ao atleta identificar facilmente as provas autorizadas e, por isso, cumpridoras dos requisitos de segurança.

Dado o seu interesse, divulgamos na íntegra as regras orientadoras que poderão vir a permitir o regresso às provas de estrada, trails e corta-matos.

MEDIDAS ESPECÍFICAS

Número máximo de atletas

1. Deve ser permitido um número de atletas que garanta que, na zona de partida, estão à distância de dois metros entre si. No entanto, poderá haver partidas faseadas e distintas.

Percursos

2. O percurso deve ser definido de forma a evitar o contacto entre todos os envolvidos na competição. No caso das provas de trail, devem ser evitados percursos que potenciem o ajuntamento de participantes, como é o caso dos single tracks.

3. A partida e a meta devem estar instaladas em locais diferentes, com uma distância mínima entre si de 50 metros.

4. O espaço de implementação da zona de partida deve permitir que os atletas mantenham o distanciamento de dois metros entre si.

5. Os atletas não poderão conviver nos corredores e outras zonas de recuperação.

6. As massagens no local da competição devem ficar suspensas enquanto se mantiver a situação de pandemia.

Abastecimentos

7. Deve dar-se preferência à realização da competição em regime de autossuficiência, devendo o corredor ser portador do seu próprio abastecimento, podendo o organizador disponibilizar, em regime de self-service, águas individuais apenas no final da prova. Nos casos em que a organização decida disponibilizar abastecimentos, estes devem ser colocados ao longo do percurso, de forma a que os atletas possam usufruir dos mesmos mantendo uma distância entre si de 5 a 10 metros, em regime de self-service, devendo ser desinfetados antes de colocados no local.

Cronometragem

8. Deve ser utilizada a cronometragem através de chips. No caso de serem utilizados chips reutilizáveis, deve ser disponibilizado um contentor de resíduos (com abertura não manual e saco de plástico) para a sua colocação, num local devidamente identificado e que não promova a formação de ajuntamentos.

Classificação

9. É permitido que a classificação seja elaborada através do tempo líquido (diferença entre o tempo bruto e o tempo de chip), visto que a partida é faseada.

Estafetas

10. As provas realizadas em equipa por estafetas devem prever zonas de transmissão que evitem o contacto entre atletas. Neste contexto, deve ser criada uma área de transmissão, devidamente delimitada e assinalada, com um mínimo de 20 metros, para garantir que as trocas de elementos das equipas são realizadas mantendo uma distância de cinco a dez metros entre atletas. Assim que o elemento da equipa que vai ser substituído estiver dentro da zona de transmissão, o colega de equipa pode avançar, sem necessidade de utilizar testemunho.

PROPOSTA DE MODELOS DE PERCURSO PARA PROVAS DE ESTRADA, MONTANHA, TRAIL E CORTA MATO

1. Provas em estrada, montanha e trail com partidas por blocos

1.1 Conceito janela horária

Os atletas escolhem no ato da inscrição, o período horário no qual pretendem correr. Recomenda-se a criação de janelas horárias de duas horas, podendo o atleta partir a qualquer momento dentro da janela horária escolhida e até uma hora antes do encerramento da mesma. Exemplo: se o atleta escolher o horário das 10h00 às 12h00, pode partir entre as 10h00 e as 11h00.

A zona de partida deve estar organizada da seguinte forma:

a) Por blocos, devendo os atletas apenas ter acesso, através de entradas controladas, ao espaço, devidamente identificado, correspondente ao horário ou cor indicados no seu dorsal;

b) Não devem ser permitidas inscrições de mais de 200 atletas por bloco;

c) Cada espaço deve estar dividido no seu interior, de forma a que seja garantida uma distância mínima entre atletas de dois metros;

d) Os atletas devem poder partir dentro da janela horária escolhida e até uma hora antes do encerramento da mesma;

e) Os atletas devem usar máscara em todos os espaços do evento, incluindo na zona de partida, onde deverá estar disponível um recipiente para colocar a máscara usada.

A zona de meta deve estar organizada da seguinte forma:

a) Devem existir no mínimo três corredores de escoamento de meta com dois metros de largura cada para que os atletas possam manter o distanciamento social;

b) A fita de meta deve ser desinfetada antes e depois de cada utilização;

c) À chegada à meta, deverá ser dada uma máscara a cada atleta.

1.2 – Conceito blocos por tempos

A zona de partida deve estar organizada da seguinte forma:

a) Por blocos (exemplo para uma prova de 10 km: elite; sub-40; sub-45; sub-50, etc.), devendo os atletas apenas ter acesso, através de entradas controladas, ao espaço, devidamente identificado, correspondente ao tempo indicado no seu dorsal;

b) Não devem ser permitidas inscrições de mais de 200 atletas por bloco;

c) Cada espaço deve estar dividido no seu interior de forma a que seja garantida uma distância mínima entre atletas de dois metros;

d) A partida deve ser dada faseadamente, com intervalos de pelo menos 30 segundos entre cada fila de atletas. No caso das provas de trail, este intervalo deve ser de 60 segundos;

e) Os atletas devem usar máscara em todos os espaços do evento, incluindo na zona de partida, onde deverá estar disponível um recipiente para colocar a máscara usada.

A zona de meta deve estar organizada da seguinte forma:

a) Devem existir no mínimo três corredores de escoamento de meta com dois metros de largura cada para que os atletas possam manter o distanciamento social;

b) A fita de meta deve ser desinfetada antes e depois de cada utilização.

2. Challenges 3 km/5 km (em estrada)

Conceito

Os atletas desafiam-se a completar uma determinada distância (recomenda-se que não seja superior a 5 km metros) num certo tempo. Por exemplo, para a distância de 5 km, os atletas propunham-se a cumpri-la em 20, 25, 30 ou mais de 30 minutos.

Partida e meta

A zona de partida deve estar organizada da seguinte forma:

a) Por blocos, devendo os atletas apenas ter acesso, através de entradas controladas, ao espaço, devidamente identificado, correspondente ao tempo indicado no seu dorsal;

b) Não devem ser permitidas inscrições de mais de 200 atletas por bloco;

c) Cada espaço deve estar dividido no seu interior de forma a que seja garantida uma distância mínima entre atletas de dois metros;

d) A partida deve ser dada faseadamente, com intervalos de pelo menos 30 segundos entre cada fila de atletas;

e) Só deverá ser dada a partida do bloco seguinte, após a chegada do bloco anterior. Exemplo: a partida do bloco que se propõe a realizar os 5 km metros em 25 minutos só pode ser dada depois de chegar à meta o último atleta a concluir a prova do bloco que se propôs a realizar a prova em 20 minutos;

f) Os atletas devem usar máscara em todos os espaços do evento, incluindo na zona de partida, onde deverá estar disponível um recipiente para colocar a máscara usada.

A zona da meta deve estar organizada da seguinte forma:

a) Devem existir no mínimo três corredores de escoamento de meta com dois metros de largura cada para que os atletas possam manter o distanciamento social;

b) A fita de meta deve ser desinfetada antes e depois de cada utilização;

c) À chegada à meta deverá ser dada uma máscara a cada atleta.

3. Team Running Challenge

Conceito

Prova realizada em equipas de dois a quatro elementos, na qual o elemento mais lento determina o resultado. Este tido de evento apresenta como desafios constituir uma equipa equilibrada; correrem em equipa, mas com os seus elementos afastados 5 a 10 metros entre si; apoiar os menos aptos, pois são eles que determinam a classificação final; treinar em conjunto, para aprender a correr juntos com distância de segurança. Trata-se de um conceito no qual o mais importante é a equipa e não a individualidade.

A zona de partida deve estar organizada da seguinte forma:

a) O acesso à zona de partida deve ser controlado e autorizado apenas 10 minutos antes da hora de início da prova, devendo ser criada uma antecâmara que permita a manutenção de dois metros de distância entre os atletas;

b) A zona de partida deve estar dividida no seu interior de forma a que seja garantida uma distância mínima entre atletas de dois metros;

c) A partida deve ser dada faseadamente, com intervalos de pelo menos 30 segundos entre cada fila de atletas, não devendo exceder os 10 atletas por partida. No caso das provas de trail, este intervalo deve ser de 60 segundos;

d) Os atletas devem usar máscara em todos os espaços do evento, incluindo na zona de partida, onde deverá estar disponível um recipiente para colocar a máscara usada.

A zona de meta deve estar organizada da seguinte forma:

a) Devem existir no mínimo três corredores de escoamento de meta com dois metros de largura cada para que os atletas possam manter o distanciamento social;

b) A fita de meta deve ser desinfetada antes e depois de cada utilização;

c) À chegada à meta, deverá ser dada uma máscara a cada atleta.

4. Provas de corta mato

As provas de corta mato devem seguir as regras habituais relativamente ao percurso, devendo este ser ajustado de forma a evitar o contacto entre atletas durante a prova. Do mesmo modo, a zona de partida e de chegada devem estar afastadas 50 metros entre si, devendo a zona de partida possibilitar a manutenção de dois metros de distância entre atletas. A partida deve ser faseada, a cada 30 segundos, não partindo mais de 10 atletas em simultâneo.

A zona de partida deve estar organizada da seguinte forma:

a) O acesso à zona de partida deve ser controlado e autorizado apenas 10 minutos antes da hora de início da prova, devendo ser criada uma antecâmara que permita a manutenção de dois metros de distância entre os atletas;

b) Não devem ser permitidos mais de 200 atletas por bloco de partida;

c) A zona de partida deve estar dividida no seu interior, de forma a que seja garantida uma distância mínima entre atletas de dois metros;

d) A partida deve ser dada faseadamente, com intervalos de pelo menos 30 segundos entre cada fila de atletas, que não deve ultrapassar os 10 elementos.

e) Os atletas devem usar máscara em todos os espaços do evento, incluindo na zona de partida, onde deverá estar disponível um recipiente para colocar a máscara usada.

A zona de meta deve estar organizada da seguinte forma:

a) Devem existir no mínimo três corredores de escoamento de meta com dois metros de largura cada para que os atletas possam manter o distanciamento social;

b) A fita de meta deve ser desinfetada antes e depois de cada utilização;

c) À chegada à meta deverá ser dada uma máscara a cada atleta.

Podem ser submetidos outros modelos de percurso para aprovação da Federação Portuguesa de Atletismo, desde que cumpram o disposto nas normas gerais presentes no Programa de Retorno à Competição – O Atletismo Regressa à Pista da Excelência e as diretrizes constantes neste documento.

A realidade que vivemos impõe-nos inúmeros desafios e uma constante atualização de regras, normas e recomendações, por isso, sempre que justificável, as recomendações constantes neste documento serão atualizadas, em conformidade com as orientações emanadas dos órgãos decisores, a que estamos atentos e com os quais mantemos uma linha de diálogo aberta.

Deixar Resposta