Imagem de seringa lança polémica no Quénia

0
370

O atletismo do Quénia sofreu mais uma acusação de um eventual esquema de doping. Tudo por causa de uma imagem de uma seringa deixada no chão, divulgada por uma página norueguesa sobre combate ao doping. A foto foi feita supostamente no centro de treino de Iten, o principal dos grandes atletas de fundo do país africano. A Federação de Atletismo do Quénia emitiu um comunicado oficial e negou as acusações, ressaltando que faltam evidências sobre todas a circunstâncias em que a foto da seringa foi feita.

“Observamos com preocupação as imagens de seringas supostamente tiradas em Iten e que se tornaram virais nas redes sociais. As imagens postadas por um jornalista norueguês têm o objetivo de retratar o Quénia de maneira negativa e reverter os ganhos na luta contra o doping. Não toleramos o doping e trabalhamos de perto com várias equipas, mas também não toleramos relatos sem fundamentos que possam causar confusão e pânico nos círculos dos atletas. Peças de investigação de qualquer parte do mundo são bem-vindas, mas apenas quando são apoiadas por factos. A imagem que está circulando nas redes sociais deixa muito a desejar, incluindo provas da sua localização real em Iten”, afirmou a nota oficial da federação queniana.

Detetives da Polícia de Iten abriram uma investigação para apurar a acusação de doping no principal centro de treino do país. A página norueguesa que fez a denúncia afirma que pode provar a localização, o dia e o horário em que a foto foi feita no telemóvel que registrou a cena. No entanto, isso ainda não prova a existência de um esquema de doping.

“A imagem que está circulando nos mídias sociais deixa muito a desejar, incluindo provas da sua localização real em Iten. Não acreditamos que o doping no Quénia tenha atingido um nível em que os atletas o praticam em campo aberto. Lamentamos dizer que fotos semelhantes de seringas deixadas em caixotes do lixo foram circuladas no passado e revelaram ser cenas manipuladas. Na Federação Queniana de Atletismo, não temos nada a esconder no que diz respeito ao doping e estamos abertos a discussões com quem quiser realizar investigações, no entanto, não podemos participar em caças às bruxas, na tentativa de alcançar as nossas próprias agendas egoístas. Nós também encorajamos qualquer pessoa com qualquer informação sobre doping a reportar oficialmente às autoridades envolvidas. Para isso, pedimos ao jornalista que identifique o local onde ocorreu esse incidente e as pessoas envolvidas”, afirmou a federação queniana num comunicado.

Deixar Resposta