“Isto é um circo”: Maria Lasitskene ataca chefes do atletismo russo

0
110

A saltadora russa Maria Lasitskene atacou a Federação Russa de Atletismo (RUSAF), classificando-a como um “circo” pela sua incapacidade de resolver uma longa saga de doping e de restabelecer a filiação internacional dos atletas do seu país.

“A RUSAF é um verdadeiro circo com os seus membros, incluindo o chefe Evgeni Yurchenko, com os seus atores principais a não terem vergonha. Ele demitiu-se há um mês e voltou depois como se nada tivesse acontecido. Todas essas pessoas não deveriam representar o atletismo russo, eles apenas prejudicam a nossa reputação “, disse Lasitskene.

“ Em Dezembro, haverá um Conselho Mundial de Atletismo decisivo em relação à participação da Rússia nos Jogos Olímpicos de 2021. A direção da RUSAF já perdeu seis meses sem fazer nada e vamos perder mais alguns meses novamente”.

” O trabalho do Comité de Reintegração da RUSAF permanecerá em dúvida até ao outono. É uma pena que o Ministério do Desporto Russo e o Comité Olímpico Russo (ROC) façam vista grossa a este caos. Embora sempre tenham feito isso, independentemente de quem chefiou a RUSAF , “acrescentou a atleta.

No ano passado, a World Athletics suspendeu o processo de concessão do estatuto de neutro a atletas russos, devido a um escândalo de doping envolvendo o saltador em altura Daniil Lysenko, medalhado de prata mundial.

A nova direção da Federação Russa de Atletismo (RUSAF) aceitou a culpa, demitindo todos os treinadores e dirigentes envolvidos no caso Lysenko.

Para poder ser reintegrada, a RUSAF foi condenada a pagar uma multa de cinco milhões de dólares, acrescida de custos adicionais. Não o fez dentro do prazo que foi entretanto, prolongado até ao próximo dia 15. O governo russo já prometeu dar o dinheiro à Federação para ela pagar a multa à World Athletics.

Deixar Resposta