Jacob Kiplino campeão mundial de Meia Maratona em Gdynia [com vídeo]

0
125

Samuel Barata, melhor português no 40º lugar com recorde pessoal

O ugandês Jacob Kiplimo acaba de sagrar-se campeão mundial de Meia Maratona ao vencer em 58m49s, novo recorde dos campeonatos. Os restantes lugares do pódio foram ocupados pelo queniano Kibiwott Kandie  em 58m54s e pelo etíope Amedework Walegen em 59m08s. O ugandês Joshua Cheptegei, um dos grandes favoritos, foi quarto com 59m21s.

Quanto aos atletas nacionais, dois deles obtiveram recordes pessoais. Foram eles Samuel Barata que foi 40º com 1h02m19s e Luís Saraiva no 78º lugar com 1h03m56s. Nuno Lopes foi 107º com 1h06m30s e Rui Pinto desistiu. Classificaram-se 117 atletas.

Por equipas, venceu o Quénia, seguido da Etiópia e do Uganda. Portugal foi 19º entre 21 seleções.

De Arons de Carvalho

O jovem (ainda 19 anos!) Jacob Kiplimo, que já fora vice-campeão mundial de corta-mato em 2019 (e campeão júnior em 2017), deu mais um passo na sua carreira, que promete, ao tornar-se o primeiro ugandês a sagrar-se campeão mundial de meia-maratona e com um recorde dos campeonatos de 58.49. A grande expetativa estava centrada noutro ugandês, Joshua Cheptegei, recente recordista mundial de 5000 e 10000 metros (em pista), que fazia a sua estreia em meias-maratonas. Foi quarto, com 59.21. O melhor europeu foi o francês Morhad Amdouni, oitavo com 59.40.

Dos atletas nacionais, destaque para Samuel Barata, que foi sempre a subir na classificação (de 48º aos 5 km a 40º na meta) e gastou por cada légua 14.26+14.41+15.05+15.09. Com 1.02.19, bateu o recorde pessoal por claros 40 segundos. Luís Saraiva, que fez uma prova cautelosa (era 100º aos 10 km e 96º aos 15 km), foi 78º com 1.03.56, recorde pessoal por 50 segundos. Já Nuno Lopes foi apenas 107º com 1.06.30 (entre 117 chegados), enquanto Rui Pinto desistiu antes dos 15 km, sendo um dos apenas quatro atletas que não cortaram a meta. E bastante falta ele fez à seleção portuguesa, que teria certamente subido quatro lugares (à frente de Polónia, Alemanha, Dinamarca e Brasil), se ele tem terminado ao seu nível.

Em anexo, o vídeo das duas provas completas

Deixar Resposta