Mais oito medalhas a fechar Europeu de Veteranos

2
665

Portugal somou mais oito medalhas (duas das quais de ouro) no último dia do Europeu de Veteranos, em Veneza, dominado pelas provas de estrada (10 km e meia-maratona).

Bernardino Pereira (M80) somou o terceiro título e a quarta medalha. Depois dos triunfos nos 5000 e 10000 m em pista e do segundo lugar nos 1500 m, ganhou os 10 km em estrada com 50.40, deixando o segundo, um italiano, a quase dois minutos (52.35). Já soma 31 medalhas (8 das quais de ouro) entre Mundiais e Europeus desde que começou a participar em campeonatos de veteranos, aos 73 anos!  

A outra medalha de ouro foi conseguida por Davide Figueiredo (M45) na meia-maratona, cujo escalão ganhou, destacado, em 1.11.39, contra 1.12.58 do segundo, um italiano, e 1.15.13 do terceiro, francês.

Já campeão de corta-mato (e terceiro nos 5000 m), Joaquim Figueiredo (M50), irmão de Davide, conseguiu a terceira medalha, ao ser segundo nos 10 km de estrada. Gastou 33.22, a dois minutos do vencedor (31.20) e com um minuto de vantagem sobre o terceiro (34.25), um e outro italianos. 

Terceira medalha foi igualmente conseguida por Nelson Oliveira (M35), que ganhara os 5000 e 10000 m em pista e neste último dia foi terceiro na meia-maratona, com 1.10.45. Outro terceiro lugar na meia-maratona foi conseguido por Graça Costa (F55), com 1.31.40.

Finalmente, referência para as medalhas de prata coletivas obtidas no escalão M35 e M50. Entre os mais novos, Portugal contou com as prestações doa medalhados Nélson Oliveira e Davide Figueiredo e ainda de Nuno Pereira, somando 3.45.44, apenas aquém da Itália, que ganhou com 3.42.24. Entre os mais velhos (M50 ou mais), Portugal somou 

4.01.15, contra 3.56.23 da formação italiana. A equipa foi formada por António Costa, Mário Pinela e Rogério Viana.

A (honrosa) exceção às medalhas nas duas provas de estrada foi o terceiro lugar de Augusto Cavaleiro (M55) no pentatlo de lançamentos, com 3817 pontos. Triunfou um alemão com 4808 pontos, seguido de um francês, com 3955 pontos. O atleta nacional fez 48,43 no martelo/6kg, 12,03 no peso/6kg, 37,58 no disco/1,5 kg, 32,18 no dardo/700g e 16,90 no martelão/11,34kg.

Neste último dia, Rosa Mota alinhou na prova de 10 km mas viria a desistir.

Portugal terminou o Europeu com 43 medalhas, das quais 17 de ouro, 14 de prata e 12 de bronze. Foi batido o recorde de medalhas em Europeus (era de 39 em Aahrus’2017), embora não se tenham igualado os 18 títulos de 2014 e de 2017.

2 Comentários

  1. E continua o desalinhamento com o medalheiro do site oficial da competição. Lá consta que tivemos16 titulos e nao 17 como aqui referido!

    • Caro Francisco,
      Segundo o Arons de Carvalho, o erro é deles. A Céu Cunha foi 1ª como se pode ver aqui:

      http://www.fidal.it/risultati/2019/COD7632/Gara988.htm
      e a confusão pode estar na atleta do Tobago que somou mais pontos mas entrou extra (está no final). Já confirmei tudo duas vezes e as contas da delegação portuguesa batem certo com as minhas.
      Obrigado pela sua colaboração.
      Cumprimentos,
      Manuel Sequeira