Provas federativas com escasso interesse

0
119

Com regulamentos algo limitativos (exceto nos lançamentos, onde os resultados têm sido bons), as provas da Federação “pós-confinamento” têm tido escasso interesse e participação. Esta terça-feira, sem a presença da lesionada Patrícia Mamona nem de Susana Costa, a sportinguista Evelise Veiga foi naturalmente a melhor no “Voando sobre a Areia”, prova de triplo (com limitações na corrida de balanço) realizada em Fátima. Com um vento de 5,6 m/s, saltou 12,82, derrotando Ana Oliveira, com 12,80 (v:+3,8), e Eduarda Ferreira, com 11,41 (+4,2).

Em Lousada, a melhor foi Catarina Queirós, com 12,51 (v:+1,5), seguida de Mariana Novo, com 11,73 (+1,5). Apenas cinco atletas participaram nas duas provas. No setor masculino, com apenas dois atletas (ambos em Lousada), o sportinguista Tomás Dinis chegou a 15,13 (+0,6 m/s), derrotando Marcos Caldeira, com 14,88 (+1,9).

Esta segunda-feira, no CAR do Jamor (em recinto coberto devido ao vento que se fazia sentir na pista ao ar livre), estiveram numa “prova” de vara (“Tocando o Céu”) três atletas. Finalidade: em 15 minutos, passar o maior número de vezes a fasquia colocada a 85 por cento da altura da melhor marca da época do atleta. Diogo Ferreira (5,50 esta época) passou 17 vezes a fasquia a 4,70; Carlos Pitra (4,76 como melhor) passou 14 vezes 4,05; e Gonçalo Uva (4,90) passou 10 vezes 4,15. Não houve prova feminina…

Esta quarta-feira, com menos restrições regulamentares, esperam-se melhores marcas no CAR do Jamor, nos 60 e 150 metros planos (Diogo Antunes-Frederico Curvelo e Lorène Bazolo-Tamiris de Liz-Arialis Gandulla) e 60 m barreiras (Rasul Dabo-João Oliveira). Mas o ponto alto desta “Velocidade Furiosa” poderá estar nos 500 m, com Cátia Azevedo e Vera Barbosa a atacar a melhor marca nacional de 1.10,35, na posse de Carmo Tavares desde 2004… embora a Federação já tenha referido não ser possível a homologação de recordes nacionais face à forma como as corridas de meio-fundo (todas em pistas separadas) se realizam. Neste caso, não vimos que os atletas retirem alguma vantagem… antes pelo contrário.

Provas idênticas serão realizadas em Lousada, enquanto à noite se realizarão provas de meio-fundo (800 m, 1500 m e 2000 m obstáculos) em Braga (20 h) e no Estádio Universitário de Lisboa (20.45 h) – o “Até ao Último Momento”.

Deixar Resposta