Sensacional Tsanko lançou 21,56! [ atualizado com video]

0
2712

Portugal, mesmo abaixo do esperado, ainda na luta pela subida à Superliga

Portugal segue em 6º lugar no final da 2ª jornada do Europeu de Seleções, em Vaasa (Finlândia), uma vintena de pontos aquém das expetativas, mas, mesmo assim, a escassos 5,5 pontos da subida à Superliga. E o atletismo nacional registou um grande momento, quando Tsanko Arnaudov arrancou uns sensacionais 21,56 m no peso, recorde nacional por quase meio metro (tinha 21,08 este inverno, no Europeu de pista coberta)! Foi no 2º ensaio, depois de uns 19,79 iniciais. A seguir, ainda fez 20,51 e um (bom) nulo. Com 21,56, deixou o 2º classificado a mais de dois metros!  É agora o 7º mundial e o 2º europeu do ano, neste caso apenas superado pelo checo Tomaz Stanek, que tem 22,01 e obteve este sábado 21,63 na Superliga, em Lille.

De resto, a presença portuguesa ficou um tanto aquém das expetativas, apesar da esperada vitória de Patrícia Mamona no triplo (14,02, contra 13,98 da búlgara Gabriela Petrova), do 2º lugar da equipa masculina de 4×100 m (39,89) e dos terceiros de Paulo Conceição na altura (2,15), Lorène Bazolo nos 100 m (11,74), Cátia Azevedo nos 400 m (52,76), Vera Barbosa nos 400 m barreiras (56,93 – melhor marca do ano) e de Cátia Pereira na vara (4,15), posições todas elas mais ou menos espetáveis, exceto a de Cátia Pereira… que até esteve quase a passar os 4,30 na 1ª tentativa.

Mas, em algumas outras provas, Portugal fez menos pontos que o previsto. Num caso por manifesto azar (como se não bastassem as lesões…), quando Emanuel Rolim caiu na última curva dos 1500 metros, quando estava na luta pelos primeiros lugares (Portugal protestou e o atleta estónio que o empurrou foi desclassificado). Nos outros, por provas menos boas de Diogo Antunes nos 100 m (6º com 10,64), Ricardo Santos nos 400 m (7º com 48,19), Marcos Chuva no comprimento (5º com 7,59), António Vital Silva no martelo (7º com 64,24 no único ensaio válido) e Marta Pen nos 800 m (10ª com 2.08,50, depois de também ter sido tocada pela atleta romena, que seria desclassificada após protesto de Portugal). Isso já sem contar com o 10º lugar de Susana Godinho nos 3.000 m, prova na qual Sara Moreira seria favorita… Diogo Mestre também esteve azarado, tropeçando numa barreira e acabando claramente último, mas a pontuação, em circunstâncias normais, não seria muito diferente.

São muitos pontos, que poderiam ter colocado Portugal em muito boa posição na luta pela subida à Superliga… que, no entanto, ainda não está fora do alcance, já que a competição tem sido surpreendentemente equilibrada e o terceiro lugar está apenas a 5,5 pontos! A Suíça, que ainda há três anos estava na II Liga, comanda, logo seguida da Turquia, que em 2013 e 2014 participou na Superliga mas foi apenas 7ª na I Liga de há dois anos. Seguem-se, a uma dezena de pontos, as três seleções favoritas (Suécia, Finlândia e Noruega) e, logo a seguir, está Portugal, em 6º lugar mas com confortáveis 27,5 pontos de vantagem sobre a Irlanda, que segue na 7ª posição. A jornada deste domingo promete!…

Eis a lista dos vencedores e da participação portuguesa:

PROVAS VENCEDORES PORTUGUESES
MASCULINOS        
100 m (-1,3) Jonathan Quarcoo NOR 10,35 6º Diogo Antunes 10,64
400 m Brian Gregan IRL 45,83 7º Ricardo Santos 48,19
1500 m Peter Callahan BEL 3.59,09 10º Emanuel Rolim 4.31,85
5000 m Ali Kaya TUR 13.36,75 4º Samuel Barata 14.06,62
400 bar. Karsten Warholm NOR 48,46 8º Diogo Mestre 66,7
Altura Tihomir Ivanov BUL 2,3 3º Paulo Conceição 2,15
Comprimento Michel Tornéus SUE 7,85/+2,1 5º Marcos Chuva 7,59/+2,0
Peso Tsanko Arnaudov POR 21,56 (2º Osman Ozdeveci TUR 19,27)
Martelo David Sodeberg FIN 72,36 7º António Vital Silva 64,24
4×100 m Suiça SUI 39,65 2º Portugal 39,89
FEMININOS  
100 m (-1,2) Mujinga Kambundji SUI 11,45 3ª Lorène Bazolo 11,74
400 m Léa Springer SUI 51,61 3ª Cátia Azevedo 52,76
800 m Lovisa Lindh SUE 2.02,36 10ª Marta Pen 2.08,50
3000 m Linn Hilsson SUE 9.08,97 10ª Susana Godinho 9.36,50
3000 ob. Fabienne Schlumpf SUI 9.38,08 8ª Joana Soares 10.28,27
400 bar. Petra Fontanive TUR 55,53 3ª Vera Barbosa 56,93
Vara Nicole Bucher SUI 4,55 3ª Cátia Pereira 4,15
Triplo Patrícia Mamona POR 14,02/+1,2 (2ª Gabriela Petrova BUL 13,98)
Martelo Kivilcim Salman TUR 69,75 9ª Vânia Silva 59,78
Dardo Liina Laasma EST 57,93 10ª Sílvia Cruz 45,64
4×100 m Suiça SUI 43,77 4º Portugal 45,20

 

CLASSIFICAÇÃO COLETIVA (2ª jornada)
Suiça 175
Turquia 172
Suécia 162
Finlândia 161
Noruega 158
Portugal 156,5
Irlanda 129
Bélgica 122
Roménia 117
10º Estónia 97,5
11º Bulgária 92,5
12º Dinamarca 80,5

 

Alemanha comanda Superliga

Entretanto, em Lille (França), a Alemanha (166 pontos) comanda a Superliga com boa vantagem, à frente da Polónia (150,5) e da Grã-Bretanha (144,5). Grande destaque para quatro recordes da competição, dois deles pelos lançadores checos Tomáz Stanek (21,63 no peso) e Jakub Vadlech (84,22 no dardo), este a derrotar o alemão Thomas Rohler, que já este ano lançou a 93,90, mas foi apenas 3º com 84,22. Os outros recordes foram alcançados nos 4×100 m pela formação feminina da Alemanha, com 42,47, e pela masculina da Grã-Bretanha, com 38,08. Registe-se que, em Vaasa, na I Liga, já havia sido batido um outro recorde, através do norueguês Karsten Warholm, que correu os 400 m barreiras em 48,46.

Deixar Resposta