Sporting soma e segue no feminino a um só ponto do recorde

2
1848

(Foto de arquivo)

Com 16 vitórias individuais e cinco segundos lugares, o Sporting sagrou-se campeão feminino pelo 7º ano consecutivo e pelo 22º nos últimos 23 anos, com um total de 163 pontos, apenas a um ponto do máximo conseguido em 2012 e na época passada. Ganhou com largos 35 pontos de vantagem, desta feita sobre o Benfica, que recuperou o 2º lugar que perdera há dois anos para a Juventude Vidigalense.

A vantagem leonina foi mais uma vez avassaladora. Na 2ª jornada, o Sporting só não ganhou os 800 m, como se previa. Marta Pen, praticamente em contra-relógio, conseguiu a boa marca de 2.06,56, com Salomé Afonso segunda, em 2.10,08. De resto, apenas no dardo o triunfo leonino chegou a estar em dúvida, já que apenas no último ensaio a veterana Sílvia Cruz (com 45,12) ultrapassou Cristina Ferreira (J. Serra), que tinha 43,45. Nas restantes provas, a vantagem sportinguista foi sempre grande: 100 m – Lorene Bazolo 23,39, Rivinilda Mentai SLB 24,60; 3000 m – Sara Moreira 9.10,98, Silvana Dias SLB 9.37,13; 100 bar. – Olímpia Barbosa 13,71, Lecabela Quaresma SLB 14,04; 400 bar. – Vera Barbosa 56,95, Tânia Freitas GDE 63,36; vara – Eleonor Tavares 4,30, Cátia Pereira SLB 4,20; triplo – Patrícia Mamona 14,12, Susana Costa SLB 13,75; peso – Jessica Inchude 14,95, Eliana Bandeira JV 13,73; 4×400 m – Sporting 3,43,33, Benfica 3.56,67.

Notas especiais para o salto com vara, no qual Eleonor Tavares chegou a estar em desvantagem, mas passou 4,30 e tentou depois o recorde nacional (igualado…) a 4,51; e para o triplo, com Patrícia Mamona mais uma vez acima dos 14 metros (14,12 com v:+1,1).

Nas nove provas em que não ganhou, o Benfica falhou o 2º lugar nos 400 m barreiras (3º), peso e dardo (4º). Acabou por garantir o 2º lugar, com 120 pontos, mais 25 que a Juventude Vidigalense, pela sexta vez consecutiva no pódio.

Motivos para festejar tem a formação madeirense do Jardim da Serra, que depois de chegar à I Divisão em 2014, teve três sétimos lugares e saltou agora para o quarto posto (79 pontos), seis à frente de outra formação da Madeira, o Estreito, que repetiu o 5º posto dos últimos dois anos. O Grecas (66 pontos) repetiu o 6º lugar de há um ano, logo seguido do SC Braga (65 p.) e do Srª Desterro (63), que desceu de 4º (em 2015 e 2916) para 8º.

2 Comentários

  1. “Nas nove provas em que não ganhou, o Benfica falhou o 2º lugar nos 400 m barreiras (3º), peso e dardo (4º).” E no martelo?

    • Este artigo refere-se ao segundo dia de provas. O martelo foi no primeiro dia.
      Obrigado pela sua chamada de atenção e interesse demonstrado.
      Cumprimentos,
      Manuel Sequeira

Deixar Resposta