Tecnologia dos sapatos de corrida: World Athletics entre dois fogos

0
450

Sobre a pressão dos concorrentes da Nike, a World Athletics propõe restringir até aos JO de Tóquio a revolução das sapatilhas.

Pelo menos, o adiamento dos Jogos de Tóquio deixou mais algum tempo à World Athletics para colmatar as brechas de uma crise que ela não tinha antecipado e que demorou a intervir.

As sapatilhas nunca tinham sido objeto de uma regulamentação estrita, apesar do seu impacto nas performances mas também a sua equidade desportiva, a sua credibilidade e a sua economia. A começar pelo mercado mundial do running.

A tecnologia Nike das Vaporfly com lâminas de carbono mudou profundamente depois de 2016, até baixar a barreira mítica das duas horas na maratona no Outono último, ainda que em condições especiais que não permitiram homologar a marca.

A World Athletics decidiu em 31 de Janeiro introduzir novas regras, limitando a quatro centímetros a espessura dessas solas e uma única placa rígida no seu interior. Entretanto, todos os concorrentes da Nike tinham trabalhado na evolução das suas sapatilhas.

Os protótipos da Nike fizeram “estragos” no meio-fundo nos Mundiais de Doha no ano passado, abrigados atrás dos debates sobre as condições climáticas em que decorreram as provas, o reduzido número de espetadores ou os casos de doping.

A Nike estava prestes a fazer uma razia nas provas de velocidade nos Jogos de Tóquio, graças a uma sola grossa das Viperfly que prometia, segundo os rumores, um ganho de dez centímetros em 100 metros.

Uma reunião no Mónaco em 26 de Fevereiro último, depois uma outra telefónica entre a World Athletics e os fabricantes de equipamentos, mais as prováveis ordens judiciais, acabaram por convencer a Federação Internacional em dar um passo atrás.

Depois de ter considerado reduzir a espessura das solas em 2,6 cm, sobre o pretexto que a Nike já tinha comercializado os Streak Flat Spike, modelo híbrido de meio-fundo muito utilizado em treinos, a World Athletics enviou um documento em 27 de Março à federação internacional da indústria de equipamentos desportivos (WFSGI), informando que ia limitar as solas em dois centímetros de espessura e ajustar os novos modelos da Nike. Espera-se a resposta desta…

Deixar Resposta