Thomas Bach não descarta quarentenas para os atletas nos Jogos de Tóquio 2020

0
115

O presidente do Comité Olímpico Thomas Bach recusou-se a descartar quarentenas para os Jogos de Tóquio e admitiu que o teste rápido pode ser a chave.

Os seus comentários contrastaram com o ministro japonês Seiko Hashimoto, que disse que os Jogos deveriam ser realizados “a qualquer custo”, e com o vice-presidente olímpico John Coates, que disse que Tóquio acontecerá “com ou sem Covid-19”.

A organização de Bach reservou 800 milhões de dólares para custos decorrentes do adiamento dos Jogos por um ano, enquanto relatórios no Japão afirmam que o atraso terá um valor bastante superior no seu orçamento. Além disso, um inquérito recente junto do público japonês sugeriu que apenas 24% queriam que o evento se realizasse.

“É muito cedo para dar uma resposta concreta sobre qual será o cenário final e a abordagem para os JO de Tóquio”, disse Bach numa teleconferência com os jornalistas em Lausanne.

“Não sabemos como será o mundo amanhã, então não se pode esperar que saibamos como será o mundo em 316 dias a partir de hoje. Isso requer sacrifícios e compromissos de todos nós. Se for preciso uma quarentena para garantir um ambiente seguro para todos os participantes dos Jogos, então será preciso ir-se para a quarentena. Temos que nos preparar para muitos cenários sem saber como será o meio ambiente. O distanciamento social está sendo considerado e há muitos outras questões. Estamos acompanhando de perto o desenvolvimento dos testes rápidos, isso poderia realmente facilitar os preparativos. Também estamos informados sobre as notícias encorajadoras sobre vacinas e tudo isso terá um papel, mas não será uma bala de prata.”

Bach reiterou a sua crença nas autoridades japonesas e não expressou nenhuma preocupação com a recente renúncia do primeiro-ministro Shinzo Abe, um dos maiores apoiantes dos Jogos.

E enquanto uma série de eventos desportivos estão em andamento, como o Tour de France e o US Open em Nova York, Bach disse que as lições aprendidas podem ser redundantes em 12 meses.

Estamos acompanhando de perto como esses eventos estão a ser organizados e estamos em contato por meio de nossa task force para trocar informações e aprender e isso vai continuar”, acrescentou.

“Só tenho certeza de uma coisa neste mundo incerto: o meio ambiente em Julho e Agosto de 2021 será diferente do meio ambiente de hoje – simplesmente não sabemos de que maneira. Infelizmente, não se pode transferir a experiência que estamos ganhando agora para a organização dos Jogos num ano.”

Deixar Resposta