Trails na China voltam ao “velho normal” mas as maratonas ainda não

0
198

Os trails na China estão de volta após um hiato desde Fevereiro devido ao coronavírus, alguns deles com milhares de participantes. Ao contrário da Europa, onde os corredores têm de seguir os novos protocolos de corrida, como partidas escalonadas, máscaras e distanciamento físico, os organizadores na China estão contando com um sistema de rastreamento, códigos de saúde e testes em massa para manter a corrida o mais próximo possível do “velho normal”.

Depois de uma suspensão total, algumas corridas em Agosto, inicialmente limitadas a algumas centenas de corredores, receberam luz verde.

China retorna ao “velho normal” com 6.000 corredores numa prova

As fronteiras da China permanecem fechadas para não-cidadãos, há uma quarentena estritamente aplicada na chegada e novos casos locais são eliminados por bloqueios imediatos. Nesse ambiente, os organizadores das provas contam com testes em massa, aplicativos de código de saúde obrigatório e sistema de rastreamento, tudo isto para garantir que as corridas estejam livres do coronavírus.

Em 14 de Agosto, mais de  6.000 corredores esgotaram uma prova em Chongli, apoiados por quase 2.000 funcionários da corrida e voluntários.

A Organização disse que todos os participantes e funcionários foram rastreados duas semanas antes do evento para garantir que eles não tivessem estado em áreas consideradas de alto risco; o número de participantes foi reduzido em 1.000; e atividades antes da prova, como uma entrevista coletiva para atletas de elite e dois fóruns, foram canceladas. Os corredores também tiveram que apresentar resultados negativos no teste de ácido nucleico.

Em 22 de Agosto, 5.500 corredores voltaram a Chongli para a primeira corrida de obstáculos pós coronavírus na China. O evento incluiu corridas de obstáculos e provas de corrida em trilhos de 10 e 21 km. Novamente, foi utilizado o sistema track-and-, foram exigidos resultados de testes negativos aos concorrentes. Funcionários e voluntários usavam máscaras.

Mariano Alvarez, CEO da Spartan Trail, disse ao Post : “Boas notícias. Precisamos de otimismo agora, e ouvir essas notícias da China é como ar fresco!”

O Grupo Ultra Trail du Mont Blanc (UTMB) tem dois trails na China – Gaoligong pela UTMB e Panda Trail pela UTMB, no final do ano. Ambos são qualificados para o UTMB em Chamonix.

Beth Hodge, gerente sénior de contas da Ásia-Pacífico no Grupo UTMB, comentou acerca dos protocolos de segurança chineses: “As ferramentas que eles têm à disposição, como o aplicativo de rastreamento, não tenho absolutamente nenhuma dúvida se essas ferramentas não fossem perfeitas o suficiente, não seria permitido começar desta forma as corridas”.

Algumas corridas seguem procedimentos mais rígidos

Na corrida China Mountain Marathon Series em Changzhi, Shanxi, em 29 de Agosto, a Organização reduziu o número de corredores em três quartos. Funcionários e corredores tiveram que fornecer um resultado de teste negativo e, em seguida, testar novamente no local da corrida, permanecendo em quarentena em quartos do hotel.

A próxima Maratona de Chongqing estará aberta apenas a corredores que residam na cidade pelo menos há seis meses no momento da inscrição. Qualquer pessoa sinalizada pelo sistema track-and-trace numa área de alto risco, duas semanas antes da corrida, não terá permissão para participar.

As corridas em trilhos e eventos com menos participantes foram reiniciados, mas os corredores estão agora a compartilhar o seu receio de perder um lugar nas maratonas nacionais de primeiro nível, como Hangzhou e Xangai. Ninguém sabe quando vão abrir as inscrições.

Fala-se que as primeiras grandes maratonas serão limitadas a dez mil inscritos, uma gota no oceano antes da pandemia. Isso era o número de participantes numa meia-maratona local.

Deixar Resposta