Wife carrying

0
2823

Com a expansão do fenómeno da corrida, são cada vez mais as propostas bizarras de competições que vão surgindo por esse mundo fora. Uma delas, que já tem alguma popularidade, embora nunca tenha sido feita em Portugal, é a “wife carrying” que, grosso modo consiste numa pista de obstáculos em que o homem carrega a mulher às costas, como se fosse uma mochila.

A origem da “wife carrying” é finlandesa, concretamente numa cidade chamada Sonkajarvi, tendo profundas raízes com a história local. Segundo reza a lenda, por volta de 1880, havia por ali um ladrão de nome Rosvo-Ronkainen, que só admitia na sua quadrilha homens fortes e corajosos, sendo um dos desafios para serem admitidos, precisamente, roubar mulheres das aldeias vizinhas, carregando-as às costas.

Esta ideia pegou de tal forma que, anos mais tarde, começaram a organizar competições entre os casais, estabelecendo-se regras para o efeito. Uma delas é a distância, que ronda os 250 metros, outra é a natureza dos obstáculos que incluem uma vala com 1,2 m de profundidade e mais dois obstáculos que poderão ser toros ou fardos de palha. Ainda segundo as regras a mulher terá de ter mais de 17 anos e um peso superior a 49 quilos. Caso o peso seja inferior terá de usar um cinto lastrado para perfazer esse valor.

O desenvolvimento deste conceito tem sido de tal ordem que, há 20 anos, começou a disputar-se, em Sonkajavi, um campeonato do mundo da especialidade. O último teve lugar no início de Julho e contou com a participação de 51 equipas oriundas da Alemanha, Austrália, Áustria, Canadá, Estados Unidos, Estónia, Finlândia, Inglaterra, Japão, México, Rússia e Suécia. Curiosamente o prémio atribuído ao casal vencedor é o peso da mulher em cervja…

Força, velocidade e resistência são os principais atributos para triunfar nesta difícil modalidade. O peso da mulher e a forma como ela se posiciona ao longo da corrida são outros fatores decisivos. Embora a posição de mochila seja a mais utilizada, ela poderá também ser transportada às cavalitas ou em posição de salvamento, sobre os ombros com os braços para um lado e as pernas para o outro.

Deixar Resposta