BALANÇO DA ÉPOCA 2017 – 400 M BARREIRAS (F)

0
2505

Vera Barbosa muito à frente

  • … mas ainda longe do que já fez

Largo domínio – mais de um segundo e 11 melhores marcas da época – de Vera Barbosa nos 400 m barreiras. Mas, com 56,73 como melhor, continuou longe do seu recorde nacional (55,22 em 2012), dos seus melhores anos e até dos 56,20 da época passada. Andreia Crespo progrediu para 57,94 e, depois, mais de três segundos separaram a segunda da terceira do ranking. A média das 10 primeiras piorou de 61,17 em 2017 para 61,64, ficou longe dos 60,82 de 1997 mas superou as médias dos 12 primeiros anos deste século. A média das 20 melhores esteve quase ao nível da de 2016 (64,06-64,02) e dista cerca de 80 centésimos da melhor de sempre: 63,29 em 1998.

O PÓDIO

1ª VERA BARBOSA (SPORTING)

Continua a dominar por completo o panorama nacional e teve como um dos pontos altos o 3º lugar no Europeu de Seleções. O seu melhor (56,73) foi conseguido em altitude (mais de 1000 m), em Espanha, tendo depois 56,86 sem essa ajuda.

2ª ANDREIA CRESPO (SPORTING)

Melhorou os seus 58,14 de 2014 para 57,94 em França, subindo a 5ª de sempre. Depois, fez uma prova a 58,37 e foi regular na casa dos 59 segundos.

3ª RAFAELA HORA (C+S LAVRA)

Bons progressos, de 63,86 para 62,88 em junho e 61,30 ao sagrar-se campeã nacional sub’23. Uma semana depois, confirmou com 61,66 e o título nacional júnior. Fez ainda 62,04 nas eliminatórias do Europeu júnior. Foi revelação… mas não única!

A REVELAÇÃO: JULIANA GUERREIRO (C. BF. FARO)

Auspicioso ano de estreia na especialidade, a desta juvenil de 1º ano, que chegou aos 61,78 no Nacional de Juniores (foi 2ª) e é já a quinta juvenil de sempre. E ainda teve três marcas na casa dos 62 segundos.

E AINDA…

Bons progressos, ainda, de Bruna Silva, de 64,88 para 62,75. E uma referência para a veterana Patrícia Lopes, ainda com 62,25 aos 35 anos de idade!

Veja aqui o ranking 2017

… e aqui o ranking mais aprofundado

 

Deixar Resposta